Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Europa dos jovens também é construída através do desporto

LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia LusoJornal / Chico Correia

Durante quatro dias, no fim de semana da Ascensão, jovens futebolistas de França, Alemanha e Portugal reuniram-se em Dijon para um intercâmbio internacional. O evento, liderado pela Associação Desportiva Europeia Bourgogne Franche-Comté, visa facilitar os contactos através do desporto.

“A Europa dos jovens também é construída pelo desporto”. Esta é a mensagem usada durante anos pela Associação Desportiva Europeia Bourgogne Franche-Comté (AES). Palavras que tomaram todo o seu sentido neste fim de semana, por ocasião do intercâmbio internacional organizado em Dijon.

O evento reuniu uns trinta jovens futebolistas da França, Alemanha e Portugal, com um objetivo simples: conhecer-se através do desporto. “Os jovens são licenciados na categoria U13”, explica Robert Lacroix, Presidente da AES. “Os Dijonnais vêm dos clubes Jeunes Dijon Foot 21 (JDF21) e União Luso Francesa Europeia (ULFE), os alemães de Mainz-Laubenheim, na Renânia-Palatinado, e os Portugueses de Guimarães (G.D.R.C “Os Mesmos” Cancelas da Veiga).

 

“Gestos para ser compreendido”

Na quinta-feira à tarde, toda esta linda gente reuniu-se no polidesportivo Jean-Marion, para participar num Torneio de futebol. Uma espécie de Liga dos Campeões, sem o lado da competição. As nacionalidades também foram misturadas para incentivar o intercâmbio entre os jogadores. Estes últimos também foram ajudados por jovens intérpretes estudantes que traduziram as conversas. “Eu até sei falar um pouco de alemão, porque aprendo no liceu”, disse Helguera Pobakumbu, um jovem de 12 anos de idade de Dijon. “Para o resto, tento me fazer entender por gestos, e funciona muito bem: o futebol é um desporto que todo o mundo conhece”.

Ao longo dos jogos, todos puderam ver o nível do adversário. E novamente, a surpresa foi muito boa: “Acho que os Franceses e os Portugueses jogam muito bem”, disse Caewling Freundt, um jovem alemão. “Eu falo em inglês para me fazer entender.”

 

Visita do centro de treinos do DFCO

Hospedados no Centro de Encontros Internacionais (CRI), os hóspedes estrangeiros estiveram em Dijon até domingo. No programa incluiu uma visita ao centro de treinos do DFCO, bem como vários jogos de laser e boliche. “Também lhes mostrámos a cidade de Dijon, durante uma visita divertida”, concluiu Robert Lacroix. “No próximo ano, somos nós que iremos à Alemanha e no ano seguinte a Portugal.

 

LusoJornal Artigos

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 16 Votos
8.3
X