Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Argenteuil: Jantar-espetáculo de recolha de fundos para a Misericórdia de Paris

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

As associações Agora de Argenteuil e Unidos de Sartrouville organizaram no sábado passado, dia 15 de fevereiro, um jantar seguido de espetáculo para angariação de fundos a favor da Santa Casa da Misericórdia de Paris. O evento teve lugar na Salle Jean Vilar, em Argenteuil, onde cerca de 350 pessoas jantaram.

Cerca de 35 voluntários chegaram à Salle Jean Vilar às 7h00 da manhã para preparar Bacalhau e Pernas de pato, que foram os dois pratos da noite. O Maire de Argenteuil, Georges Mothron e o Deputado Paulo Pisco foram as duas personalidades da noite.

“É uma excelente ação. Pensar nos outros, nos que mais necessitam é uma excelente ação” disse ao LusoJornal o Maire Georges Mothron.

“E podia estar mais gente” confirmou Enrico de Rosa, o Presidente da associação Agora. “Há 15 dias que tivemos de fechar as reservas. Até podíamos ter 750 pessoas, mas temos de limitar à capacidade da sala”.

“Quando organizamos um evento interrogamo-nos sempre se vai funcionar ou não. E felizmente funcionou e temos muita gente” confirma o Presidente da associação Agora.

A Santa Casa da Misericórdia de Paris foi representada pelo Vice-Provedor Abílio Lopes porque o Provedor António Fernandes encontrava-se doente. “É um prazer ver uma sala assim, graças às associações Agora e Unidos de Sartrouville” disse ao LusoJornal. “Esta é uma ajuda importante para a nossa organização. Há pedidos quase todos os dias, infelizmente ainda há muitos Portugueses que vivem na dificuldade. Há pessoas que pensam que os Portugueses vivem bem aqui, mas nem sempre é o caso. Nós estamos aqui para ajudar”.

“Esta é uma ação muito meritória em que a solidariedade entre os Portugueses funciona verdadeiramente” disse por seu lado o Deputado socialista Paulo Pisco, eleito pelo círculo eleitoral da Europa. “O resultado deste jantar solidário reverte a favor da Santa Casa da Misericórdia de Paris, que é uma instituição de referência em França e mais particularmente na Região de Paris, por tudo o que faz em prol dos Portugueses que estão em situação de dificuldades diversas, em situação de precariedade”.

As ações da Misericórdia de Paris são financiadas pelos voluntários. Anualmente a instituição organiza uma Corrida da solidariedade, um Jantar de Gala, uma Recolha de bens alimentares para depois distribuir pelas pessoas mais carenciadas e esta ação em Argenteuil.

“O Governo português dá um pequeno subsídio. Pequeno em relação às nossas necessidades e aos muitos casos que nós temos de responder” confirma Abílio Lopes.

Apesar de terem o mesmo nome e de pertencerem às redes da Santa Casa da Misericórdia, uma estrutura que existe há muitos anos e partilham os mesmos valores, em termos de estrutura financeira não tem nada a ver. A Santa Casa da Misericórdia de Paris funciona com base no voluntariado e nas receitas que os voluntários angariam, enquanto a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa tem muitos recursos, até pelas receitas do jogo. “A Misericórdia de Lisboa é rica, a de Paris é pobre” afirma Paulo Pisco. “Acho que devia ter outro tipo de vínculo, não faz sentido que se mantenham à margem. A Misericórdia de Lisboa podia canalizar nem que fosse uma pequena quantia para que esta Santa Casa não tenha problemas financeiros”.

O Maire Georges Mothron lembrou que “a vida associativa em Argenteuil é muito ativa, há muito tempo, permite convívio entre uns e outros. Esperamos continuar assim por muitos anos e que Portugal continue a estar sempre representado”. Até porque a Sala Jean Vilar tem uma enorme reputação na Comunidade portuguesa de França. Chamam-lhe o Olímpia Português. “Fui muitas vezes a Portugal e falam-me sempre da Salle Jean Vilar” confirma o Maire.

“Se o Maire continuar, ele vai ampliar esta sala, vamos ter uma sala bem maior, e vamos poder acolher artistas mais importantes” garante Enrico de Rosa.

Pelo palco passaram quatro artistas que se disponibilizaram atuar gratuitamente para esta causa: Nel Monteiro (que substituiu o anunciado Chris Ribeiro), Céline, José Cunha e Alexandre. Às duas da madrugada os organizadores tiveram que mandar parar o espetáculo porque o público não queria arredar pé. Foi considerado um sucesso.

No mesmo complexo, na Sala Jean Vilar n°2, no mesmo dia e à mesma hora, houve outro jantar organizado pelo Centro Pastoral Português de Argenteuil animado pelo artista Jeremy.

 

Desporto
X