Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

As Forças Armadas e a Liga dos Combatentes vão assinalar amanhã, quinta-feira, dia 11 de novembro, os 103 anos da assinatura do Armistício que pôs fim à I Guerra mundial, com uma cerimónia militar junto ao Forte do Bom Sucesso, em Belém, presidida pelo Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Almirante António Silva Ribeiro.

“Esta cerimónia, que pretende homenagear a paz e honrar a memória de todos os que lutaram e morreram pela Pátria, assinalará ainda o 100º aniversário da Liga dos Combatentes e o 47º aniversário do fim da Guerra do Ultramar” diz uma nota do Estado-Maior-General das Forças Armadas enviada às redações.

O evento conta ainda com a presença da Secretária de Estado dos Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro, e do Presidente da Liga dos Combatentes, Tenente-General Chito Rodrigues, entre outras entidades civis e militares.

O Armistício foi assinado no dia 11 de novembro de 1918, às 5h15 da madrugada, numa carruagem de comboio, na “Clarière de Rethondes’, na Floresta de Compiègne (60), a norte de Paris, para pôr um fim à I Guerra mundial (1914-18), reconhecendo a vitória dos Aliados e a derrota da Alemanha. O cessar-fogo definitivo seria efetivo, simbolicamente, às 11h00. Para trás ficaram 18,6 milhões de mortos, inválidos e mutilados, entre os quais 8 milhões de civis.

 

Donativos LusoJornal

 

X