Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Empresas

 

A empresa J3LP, dedicada ao polimento de peças metálicas para a marca francesa Hermés, que está instalada no Fundão, vai abrir este ano uma nova unidade na Guarda e criar 40 postos de trabalho logo no início da atividade.

Segundo Paulo Nobre, Diretor-geral da empresa, numa primeira fase, a unidade vai funcionar num pavilhão alugado, no Parque Industrial da Guarda, com dois mil metros quadrados de área.

A previsão de arranque da área produtiva “será a partir do mês de novembro, com 40 pessoas” e depois, progressivamente, ao longo dos anos, o objetivo é “aumentar os efetivos até 150, pelo menos”.

Paulo Nobre, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com o Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa, e com a Vereadora com o pelouro da economia, Diana Monteiro, referiu que, no futuro, o projeto “poderá não passar somente por um aluguer de um pavilhão”, mas poderá incluir instalações próprias, como já aconteceu no Fundão.

O empresário explicou que a empresa arrendou um pavilhão e vai fazer um investimento de 1,5 milhões de euros em equipamento e em obras de adaptação às funções.

A empresa podia ter optado por outras zonas da região, mas a opção pela Guarda foi tendo em conta a “dinâmica” que existe ultimamente na cidade mais alta do país, disse o responsável.

A J3LP está instalada no Fundão desde 2005, emprega 362 pessoas, trabalha para “as maiores marcas de luxo a nível mundial” e fatura uma média de 11 milhões de euros por ano.

A empresa tem como principal cliente a marca francesa Hermés e vai produzir artigos de marroquinaria (acessórios de carteiras de senhora, fivelas para cintos, braceletes, brincos, pendentes, etc.) e de bijutaria, adiantou Paulo Nobre.

O Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa, valorizou a aposta que a empresa vai fazer no concelho, considerando tratar-se de “uma grande prenda de verão” do primeiro ano de mandato autárquico. “Este investimento é para nós, para a Guarda, para a Câmara Municipal da Guarda, para todo o concelho, muito importante”, afirmou.

O autarca admitiu que o concelho vai criar empregabilidade num novo setor que não existia na Guarda, que já tem “vários ‘clusters’”, nomeadamente nos setores do automóvel, da logística e agroalimentar. “Estamos muito satisfeitos com a escolha da empresa”, disse aos jornalistas.

Segundo Sérgio Costa, o Executivo que lidera “está muito grato” à empresa pela escolha da cidade na estratégia para aumentar o volume de negócios. “Todo o investimento é sempre bem-vindo à nossa cidade e ao nosso concelho”, concluiu.

 

Donativos LusoJornal
X