Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A associação Activa fez um apelo a mais de 1.600 eleitos municipais em França para ter 100 cidades a comemorar os 100 anos da participação lusa na Grande Guerra, a 8 de abril, em Paris.

Na iniciativa chamada «100 Cidades para os 100 anos do Corpo Expedicionário Português», a Activa – Grupo de Amizade França Portugal das Cidades e Colectividades Territoriais – pediu aos eleitos autárquicos para estarem presentes na cerimónia de homenagem aos soldados do Corpo Expedicionário Português (CEP) no Arco do Triunfo, em Paris, a 8 de abril, às 18h30.

Além de um correio eletrónico enviado aos mais de 1.600 munícipes em França que constam da lista da associação, a Activa fez um primeiro envio de cartas postais a 250 Maires com o mesmo apelo.

O Presidente da Activa e Conselheiro Municipal de Paris, Hermano Sanches Ruivo, sublinhou que o objetivo é «convidar os portugueses, lusodescendentes, franco-portugueses a estarem presentes», mas também «apelar de forma solene aos franceses para estarem presentes» na homenagem aos soldados do CEP.

«Não deve ser impossível convencer 100 representantes de cidades a estarem presentes. É mais uma meta a atingir. Veja a imagem simbólica de 100 cidades presentes no Arco do Triunfo. Não é apenas ‘show-off’. Há momentos em que a França tem de mostrar amizade, Portugal tem de mostrar amizade, desta vez é prestar homenagem aos soldados portugueses», disse à Lusa Hermano Sanches Ruivo.

De acordo com o Presidente da Activa, a cerimónia vai contar com o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, e o Primeiro-Ministro, António Costa, que vão acender a tocha no Túmulo do Soldado Desconhecido, debaixo do Arco do Triunfo.

«O que está a esta hora confirmado é que o Presidente da República e o Primeiro-Ministro portugueses vão reavivar a chama no dia 8, às 18h30. Para nós – eleitos e estruturas ligadas à Comunidade portuguesa ou franco-portuguesa em França – é um momento simbólico em que muito claramente queremos mostrar a capacidade de mobilização», acrescentou Hermano Sanches Ruivo, destacando que é a primeira vez que há uma homenagem aos soldados do CEP, a este nível diplomático, no Túmulo do Soldado Desconhecido, no Arco do Triunfo.

Na missiva, a Activa louva, precisamente, a presença do Presidente e do Primeiro-Ministro portugueses na cerimónia do Arco do Triunfo, a 8 de abril, e adianta que a 9 de abril, dia do centenário da Batalha de La Lys, além do Presidente e Primeiro-Ministro portugueses, também foi convidado o Chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, para homenagear os soldados lusos no Cemitério Militar Português de Richebourg e no monumento aos mortos de La Couture, no norte de França.

«Não faria sentido o Presidente da República francesa não estar presente. Francamente, eu veria isso como muito preocupante – a não ser que haja alguma coisa que realmente pudesse justificar – não faria sentido o Presidente da República francês não estar ao lado do Presidente da República português e do Primeiro-Ministro português numa cerimónia para prestar homenagem aos soldados em Richebourg», sublinhou, ainda, à Lusa, Hermano Sanches Ruivo.

Na carta, pode ler-se, também, que «a presença dos soldados do CEP na Primeira Guerra Mundial é pouco conhecida», pelo que a Activa «agradece o trabalho das associações que preservam a memória», apontando, nomeadamente, o Comité France Portugal Hauts de France, a Delegação de Paris da Liga dos Combatentes, a Rede da Aquitânia para a História e Memória da Imigração, as associações Memória das Migrações, Memória Viva, Cap Magellan e Coordenação das Coletividades Portuguesas de França.

«Lançámos um apelo à mobilização das nossas cidades e assembleias para que elas estejam presentes, representadas pelos Presidentes de Câmara e membros do Conselho municipal, Presidentes e eleitos dos Conselhos distritais e regionais, acompanhados de associações de antigos combatentes, porta-estandartes, associações franco-portuguesas e habitantes desejosos de participar nesta homenagem. Também ficaríamos felizes em receber cidades de Portugal», explica a missiva.

A associação sublinha que «esta presença simbólica permite a todos aqueles e aquelas que não vão poder assistir às cerimónias de 9 e 10 de abril de prestar uma justa homenagem aos mais de 50.000 homens que Portugal mobilizou durante a primeira guerra mundial».

De acordo com Hermano Sanches Ruivo, a Activa – Grupo de Amizade França Portugal das Cidades e Colectividades Territoriais – é uma associação que reúne eleitos franceses e portugueses, tendo 252 membros ativos e 1.600 eleitos que recebem informação regular.

 

 

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 26 Votos
0.6
X