Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Associação Internacional dos Lusodescendentes (AILD) vai organizar um Colóquio intitulado “Pare de dizer Diáspora”, na próxima terça-feira, dia 20 de outubro, entre as 18h00 e 20h00 (hora portuguesa), na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O evento vai ser transmitido em direto nas plataformas Youtube e Facebook do LusoJornal.

“Talvez seja uma surpresa para muitos portugueses, mas os lusodescendentes não gostam do termo ‘Diáspora’ aplicado às Comunidades portuguesas” lê-se no comunicado da organização enviado à imprensa, garantindo que “este colóquio vai explicar porquê e apresentar alternativas”.

O colóquio conta com a presença de especialistas em história, terminologia, linguística, tradução, cultura e política e com a participação de individualidades políticas, jornalísticas e culturais do nosso país.

Terá ainda como convidados de honra a Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes e o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

No primeiro painel, sobre “Diáspora, uma conotação negativa das comunidades portuguesas”, para além de Berta Nunes, estão anunciados Francisco Caramelo, Diretor da NOVA FCSH e Gilda Pereira, Vice Presidente da AILD. No segundo painel, sobre “Diáspora, um conceito identitário negativamente diferenciador. Que alternativas?”, a organização anuncia Luís Pinto de Sousa, ICS-ULISBOA, José Governo, Diretor de Comunicação AILD e Marco Neves, NOVA FCSH/AILD.

Os dois painéis vão ser moderados, respetivamente, pelas jornalistas Rosário Lira, da RTP e Vera Magarreiro, da agência Lusa.

“Quando nos referimos às várias Comunidades portuguesas e lusodescendentes espalhados pelo mundo, nem sempre pensamos nas palavras que estamos a usar. É comum ouvir a palavra ‘diáspora’ da boca de políticos, jornalistas e académicos. No entanto, essa palavra tem uma conotação claramente negativa aos ouvidos dos próprios lusodescendentes” escreve José Governo, membro da Direção da AILD.

“Para explicar porquê e, pelo caminho, aproveitar para discutir alternativas e abrir a discussão entre portugueses sobre a realidade da comunidade nacional noutros países”, a Associação Internacional de Lusodescendentes (AILD) organiza o colóquio “Pare de dizer ‘Diáspora’!”. O título é imperativo porque quer “chamar a atenção para este pequeno ponto de discórdia lexical, que a associação espera vir a ser o ponto de partida para boas e frutíferas discussões sobre os Portugueses no mundo”.

Como afirma Philippe Fernandes, Presidente da AILD, “se o termo e conceito em si mesmo, já transportava uma conotação negativa à nossa emigração, hoje, com o fenómeno da globalização e da crescente mobilidade das pessoas, ainda faz menos sentido o uso deste vocábulo para nos referirmos aos nossos emigrantes e lusodescendentes. Se queremos defender a Portugalidade, temos de abandonar o termo ‘Diáspora’ no nosso discurso, é um contrassenso”.

O colóquio é organizado pela AILD, em colaboração com o Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Marco Neves, Professor do Departamento, explica que “além da história da palavra ‘diáspora’, o colóquio permitirá dar a conhecer alternativas e debater o discurso sobre os lusodescendentes no seio da comunidade nacional. Será também uma oportunidade para discutir a importância da terminologia nas relações entre grupos humanos”.

Por razões da pandemia Covid-19 o evento terá um número reduzido de presenças na plateia, que carecem de uma inscrição prévia, mas pode ser seguido em direto no LusoJornal.

 

https://aild.pt/coloquio-AILD-20-outubro.pdf?fbclid=IwAR2xgZqk23JigkcbTfl3u2P_5zLkBXzphDw9oODDodZFYWmHvRaR373n9wA

 

Comunidade

 

X