Brasil: Detido homem acusado de destruir relógio oferecido pela Corte francesa a D. João VI

Comunidade

 

Uma das peças destruídas no Palácio do Planalto, em Brasília, no passado dia 8 de janeiro, dia em que radicais invadiram também à sede do Supremo Tribunal Federal e o Congresso, foi um relógio de 1808, oferecido pela Corte Francesa a D. João VI, que o levou para a então colónia portuguesa.

A Polícia Federal do Brasil anunciou ontem a detenção do suspeito de o ter destruído. As câmaras do Palácio do Planalto filmaram o suspeito a atirar para o chão o relógio e, de acordo com o comunicado da Polícia Federal o homem encontra-se em prisão preventiva, desde o início da noite de segunda-feira, em Uberlândia, cidade do estado de Minas Gerais.

Na sexta-feira, o Supremo Tribunal Federal do Brasil ordenou que 942 dos 1.406 apoiantes do ex-Presidente Jair Bolsonaro detidos na sequência dos ataques aos três poderes fossem mantidos em prisão preventiva por tempo indeterminado.

O juiz Alexandre de Moraes, instrutor do processo, concluiu a análise das audiências de custódia das pessoas detidas em flagrante, que ficarão em prisão preventiva, uma medida cautelar que não estipula um prazo para uma sentença.

 

Donativos LusoJornal