Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Conselho das Comunidades Portuguesas aproveitou o período das férias de verão para promover, na quinta-feira, dia 17 de agosto, uma visita ao Museu das Migrações e das Comunidades de Fafe.

Os Conselheiros eleitos pelas áreas consulares de Melbourne (Autrália), Paris, Lyon e Strasbourg (França), respetivamente, Sílvia Renda, Raul Lopes, Manuel Cardia Lima e Rui Ribeiro Barata, foram conhecer o espólio, in loco, patente no Museu das Migrações e das Comunidades que se encontra na Casa da Cultura da cidade de Fafe, no norte de Portugal.

O Museu abriu oficialmente as portas no ano de 2009 e retrata o fenómeno da Emigração no Concelho de Fafe desde o século XIX até aos finais do século XX.

Procura ser “um Museu que pretende aprofundar o conhecimento das migrações na diáspora portuguesa”, como se pode ler no site internet do Museu.

A criação deste espaço museológico foi amplamente impulsionada pelo investigador Miguel Monteiro, com o contributo científico da Professora especialista na temática das migrações, Maria Beatriz Rocha Trindade. Para a concretização deste projeto, o apoio da Comunidade fafense residente no estrangeiro foi importante, pois sempre apoiou a criação deste espaço e continua a colaborar, no sentido de recolher elementos para aumentar e enriquecer os arquivos históricos do museu.

Este encontro tinha vários propósitos, sendo que um deles, era o de realçar a importância que reverte este Museu para Portugal e para os Portugueses, independentemente do seu local de residência. Esta ação veio reforçar a ideia de que “existe uma real necessidade de trabalhar e investir na preservação da memória da Emigração portuguesa”.

Fafe é pelo seu passado uma cidade, profundamente marcada pelo fenómeno da Emigração. O contributo das gentes desta terra no desenvolvimento da agora cidade de Fafe, outrora terras de Montelongo, foi preponderante e está bem patente na influência, nomeadamente arquitetónica de vários edifícios que hoje são símbolos emblemáticos da cidade.

Aqui foram construídas e doadas no passado, escolas, igrejas, hospitais, entre outros, pelos Fafenses emigrados no Brasil.

Após a visita guiada ao Museu, a comitiva de Conselheiros foi recebida nos Paços do Concelho pelo atual Presidente do Município, Raul Cunha. Nesta reunião foram debatidas questões relacionadas com a presença e a importância das Comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo nos territórios do norte do país, aqui incluíndo a cidade e concelho de Fafe.

A questão da importância do Museu e da necessidade de vitalizar aquele espaço dedicado à memória das Comunidades foi evocada.

Houve também tempo para abordar o tema das eleições autárquicas que se avizinham e a necessidade de integrar o fenómeno da desertificação do interior, da emigração e da participação cívica das Comunidades portuguesas residentes no estrangeiro no debate político local.

No final do encontro, os Conselheiros fizeram questão de agradecer a forma hospitaleira e cordial como foram recebidos e acompanhados pelo Executivo e pela equipa técnica da autarquia de Fafe.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 8 Votos
8.3
X