Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Elisabeth Antunes-Bord trabalha no setor do turismo e é a mulher de Gilles Bord, o Maire de Pontault-Combault, que venceu a eleição municipal logo na primeira volta, no dia 15 de março, com mais de 60% dos votos.

Numa entrevista ao LusoJornal, Elisabeth Antunes-Bord mostra-se preocupada com a pandemia do Covid-19 e fez vir a mão de Portugal para não ficar lá sozinha.

 

Como está a passar este período?

Temos que ter paciência. Estou em casa, infelizmente sem trabalho já que o setor do turismo e eventos, habitualmente mais calmo no início do ano, sofre bastante, a maior parte trata-se de independentes. Estou em França, já que o meu marido é francês e tem que estar presente na cidade onde moramos… Estou em casa com a família e a minha mãe, que veio de Portugal para não estar sozinha lá, e minha filha que segue as aulas do liceu pela internet e é preciso verificar, pois nem todos os professores o fazem. O filho do meu marido trabalha na Polícia e é obrigado a ir trabalhar, não tem proteção nenhuma, para já não está muito em contacto.

 

Está preocupada com a situação atual de pandemia?

Estou preocupada com a evolução da pandemia. Segundo fontes que trabalho no Hospital de Créteil, se assim continuar, 80% da população vai ser afetada. Também me preocupo com as pessoas idosas e não só. A OMS diz que também há muitas pessoas jovens e 34% das vítimas tem menos de 50 anos.

 

Quando esta situação estiver ultrapassada, o que espera do ‘novo mundo’?

Quando a situação estiver ultrapassada, espero que as pessoas tenham mais paciência. Que deem mais valor às coisas simples – cozinhar sem encomendar no Ubereat, ler, conversar com a família sem olhar para o telefone, dar novidades às pessoas com mais frequência – que todos encontrem um trabalho, que apoiem o comércio local que esta fechado, pois a crise económica vai ser mais difícil que a de 2008…

 

Comunidade
X