Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Um homem de 42 anos foi detido em França, depois de dois anos em fuga, por um crime que decorreu a 1 de outubro de 2015.

O acórdão deveria ter sido lido na quinta-feira 24 de janeiro, no entanto o Tribunal de São João Novo, no Porto, atenuou a acusação, visto que os juízes decidiram alterar os factos do homem detido, passando a ser acusado de homicídio simples e não qualificado, mantendo-se, no entanto, as restantes imputações: profanação de cadáver e falsificação.

O homicídio terá decorrido a 1 de outubro de 2015, o homem de 42 aos sendo acusado da morte de uma mulher de 30 anos, a quem arrendou um quarto, e de ter enterrado o corpo numa mata.

De acordo com a Polícia Judiciária, o suspeito agrediu a vítima na sequência de uma discussão, ao ponto de lhe provocar a morte, seguindo-se a ocultação do cadáver. O homem, detido em França, indicou o local exato onde estava o corpo.

O arguido rejeita qualquer a intenção de matar, alegando que a mulher perdeu a vida de forma acidental ao bater com a cabeça no chão, depois de uma discussão e de o atacar com uma faca.

Quanto ao perito do Instituto de Medicina Legal, disse ao Tribunal que os dois anos que passaram entre a morte e o exame do cadáver não ajudaram a explicar as causas do óbito.

A decisão deste processo foi reagendado para 30 de janeiro.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.3
X