Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Discoteca Mikado abriu ‘temporariamente’ em Paris

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

A “famosa” discoteca portuguesa Mikado, que durante anos esteve em Pigalle, em Paris, mas que teve de fechar, abriu depois em Pantin, antes de fechar novamente. O objetivo era mesmo estar em Paris, no coração da capital francesa. Por isso a Mikado abriu no fim de semana passado perto da Bastille, na bem conhecida rue de Lappe.

Pedro Raquel, Diretor da discoteca, explicou ao LusoJornal esta abertura dita “temporária” da Mikado na Bastille e o que o levou a aceitar este desafio. “A Mikado teve uma grande história com 26 anos no mesmo sítio, em Pigalle, onde já tínhamos os nossos hábitos. Eu não queria perder os clientes que foram fiéis durante 26 anos. Fomos para Pantin, com um outro conceito, com umas instalações maiores, mas as pessoas não aderiram muito. As pessoas queriam um lugar mais pequeno, mais intimista, mais familiar. Por isso parei lá, porque não havia adesão. Sem clientes, nada é possível. Agora tive uma proposta, provisória, aqui na Bastille. No entanto há duas problemáticas: o estacionamento e também a rua que não traz intimidade”, frisou ao LusoJornal.

Pedro Raquel garante que a sua “prioridade” será sempre os clientes, por isso é que abriu temporariamente a Mikado, mas promete encontrar uma outra sala em Paris.

“Recebia muitas mensagens de pessoas que queriam ver a Mikado de regresso. No entanto estou à espera de uma casa em Paris, num lugar mais ‘chic’, e com melhores condições” confessa. “Isto é só para não deixar os meus clientes sem Mikado. Vamos estar aqui um mês ou dois, depende da evolução do outro sitio. Tenho ainda algumas coisas administrativas a resolver”, assegurou o Diretor da discoteca.

A Mikado estava repleta para a noite de abertura, algo que deixou Pedro Raquel satisfeito, mas que não o vai demover de mudar de sítio. “Uma noite toda a gente pode fazer, o mais difícil é durar anos! Recebi tanto carinho, era importante voltar e vamos ver o que o futuro nos reserva”, assumiu.

Pedro Raquel deixou sobretudo uma promessa aos clientes atuais e futuros da Mikado: “Espero que as pessoas continuem a seguir-nos nas redes sociais. E peço desculpa por todas estas mudanças, mas eu deixo aqui a promessa que vou encontrar um sitio que tenha todas as condições para fazermos a festa entre Portugueses e com todas as condições, entre elas o estacionamento. Prometo que vou encontrar algo melhor”, concluiu.

A Mikado encontra-se neste momento perto da Bastille, no 17 rue de Lappe.

 

LusoJornal Artigos
X