Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Artur Fajardo, 48 anos e emigrante em França, e a enteada Beatriz Cação, de 19 anos, morreram atropelados por um carro em Pedros, na Figueira da Foz, enquanto a filha, de 12 anos, está no Hospital Pediátrico de Coimbra com prognóstico reservado.

Artur Fajardo, pintor na construção civil, estava emigrado em França, estando de férias em Pedros.

Segundo dados recolhidos pelos meios de comunicação portugueses, a família saía do café, na segunda-feira, para regressar a casa, que se situa do outro lado da EN109, quando foi colhida por um carro. Artur Fajardo morreu no local. Beatriz Cação ainda foi levada para o hospital, mas acabou por morrer.

O condutor, emigrante no Luxemburgo, será natural de Brenha, na Figueira da Foz. O condutor, de 25 anos, disse às pessoas presentes que não ia a mais de 60 km/h, que terá ficado “encandeado pelas luzes dos telemóveis das vítimas”, e que não teve “tempo de parar”.

A tragédia na EN109 é quase ‘habitual’. Os moradores reclamam medidas de segurança após mais uma tragédia, lamentando que não exista uma passadeira ou um semáforo naquele local.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
9.2
X