Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Cultura

 

Durante este sábado, dia 14 de maio, pode ainda ser visitada, na sede da Unesco, em Paris, uma exposição com algumas das principais obras do pintor português Cruzeiro Seixas.

“Cruzeiro Seixas – Teima em ser Poesia” com a curadoria de Marlene Oliveira e Perfecto Cuadrado, foi considerada pela pela Embaixadora portuguesa junto da Unesco, Rosa Batoréu, como a “mais importante” do artista organizada fora de Portugal, reforçando a diversidade de Cruzeiro Seixas e integra hoje o programa oficial da Nuit des Musées.

“Cruzeiro Seixas representa uma diversidade ética e cultural fantástica. Tem esta ligação a África que tem a ver com a globalização, com o multiculturalismo e com o multilinguismo”, afirmou a diplomata em declarações à Lusa.

A Unesco integra a programação da Noite Europeia dos Museus, entre as 18h00 e a meia-noite, depois de dois anos sem participação por razões evidentes de pandemia. Para além da exposição de Cruzeiro Seixas, vai ser possível também ver obras dos mais reputados artistas contemporâneos nos jardins deste espaço multicultural no corações de Paris, com entrada gratuita e sem marcação.

“A noite do 14 de maio vai ser uma oportunidade excecional para se visitar a sede da Unesco e a sua coleção de obras de arte – é a única Agência de todo o sistema das Nações Unidas que tem uma colecção de arte -, com atividades para toda a família” diz ao LusoJornal Teresa Salado, da Delegação portuguesa. “Seria excelente conseguirmos levar aos leitores do LusoJornal essa informação, e incentivá-los a virem conhecer de maneira diferente e numa noite especial esta Casa da Cultura, da Comunicação e Informação, das Ciências e da Educação, que é de todos nós”.

Artur Manuel do Cruzeiro Seixas, nascido a 03 de dezembro de 1920, foi um dos principais representantes do Surrealismo português, um movimento artístico nascido nos inícios dos anos 1920, em Paris, que em Portugal se manifesta na década de 1940, e ao qual Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny, Pedro Oom, António Maria Lisboa, Mário-Henrique Leiria, entre outros, aderiram.

O grupo apresentou, em Lisboa, em 1947, a primeira exposição d’Os Surrealistas, que desenham a sua obra a partir do sonho e da imaginação, sem qualquer imposição estética ou moral.

As comemorações do centenário do nascimento de Cruzeiro Seixas (1920-2020) culminaram em Lisboa, com a maior exposição do artista, reunindo 160 obras na Sociedade Nacional de Belas Artes (SNBA), entre dezembro de 2021 e fevereiro deste ano.

 

Sede da Unesco

7 place de Fontenoy

Paris 7

Metro Ségur, Cambronne ou École militaire

Bus : 28, 87, 80, 82

 

Visita gratuita e sem marcação

Das 18h00 às 24h00 (última entrada às 23h30)

 

Uso obrigatório de máscara.

 

Donativos LusoJornal
X