Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O filme “A Dança do Cipreste”, de Francisco Queimadela e Mariana Caló, fará a estreia mundial em julho, no Festival Internacional de Cinema de Marseille.

A 31ª edição do FID Marseille, um festival dedicado ao documentário, está marcada de 22 a 26 de julho e acontecerá fisicamente em sala naquela cidade francesa, sendo por isso descrito como “o primeiro festival pós-Covid-19”, já que nos últimos meses outros festivais foram adiados ou decorreram apenas ‘online’ por causa da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a programação anunciada ontem, na competição internacional está o documentário experimental “A dança do cipreste”, de Francisco Queimadela e Mariana Caló, que fará a estreia mundial.

“A dança do cipreste” é o terceiro filme colaborativo de Francisco Queimadela e Mariana Caló, depois de “A trama e o círculo” (2014) e “Sombra luminosa” (2018). Formados em pintura, trabalham juntos desde 2010.

O filme está ainda integrado numa nova secção competitiva intitulada “Flash”, transversal a todo o programa.

Miguel Dias, Diretor do Festival de Curtas de Vila do Conde, faz parte dos júris desta edição.

Semanas antes de acontecer o festival, está prevista, de 06 a 10 de julho, a realização do FIDLab, a plataforma de coproduções internacionais, para a qual foi selecionado o projeto “Xiao li”, da dupla luso-suíça Maia Kosa e Sérgio da Costa, ainda em desenvolvimento.

 

Cultura
X