Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O filme português “Technoboss”, de João Nicolau, em exibição nas salas de cinema nacionais, tem estreia garantida em França, a 18 de dezembro, e no Brasil, em 2020, anunciou a produtora ‘O Som e a Fúria’.

A estreia em França, onde terá distribuição da Shellac, está marcada para 18 de dezembro e no Brasil, com distribuição da Vitrine Filmes, para março de 2020, segundo a produtora num comunicado divulgado.

Depois de ter tido estreia mundial no Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, e de ter encerrado o festival DocLisboa, “Technoboss” chegou aos cinemas portugueses a 07 de novembro, assinalando a estreia do ex-programador cultural Miguel Lobo Antunes na representação aos 71 anos.

Em “Technoboss”, Miguel Lobo Antunes é Luís Rovisco, diretor comercial de uma empresa de aparelhos de segurança que está à beira de se reformar. Passa grande parte do tempo dentro do carro, em viagem, cantando os males da vida, até que se apaixona.

À agência Lusa, Miguel Lobo Antunes garantiu que não é ator, nem vai continuar a ser e que decidiu entrar no filme por confiar em João Nicolau: “Ele disse que eu era capaz de fazer. Eu sou uma criação dele”.

“Assim como no filme o aparecimento de Lucinda [uma das personagens] salva o Luís Rovisco – que estava a ficar incomodado com a situação de reforma e passa a ter uma vida nova – na minha vida, aparecer este filme dá-me outra vida aos 70 anos”, disse.

Também à Lusa, João Nicolau sublinhou que queria fazer um filme sobre um homem num carro e que só depois de escolher Miguel Lobo Antunes num ‘casting’ é que decidiu que a personagem seria alguém à beira da reforma.

Além de Locarno e do DocLisboa, “Technoboss” foi exibido em festivais no Brasil, França, Chile e Áustria.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
2.8
X