Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

Um homem com dupla nacionalidade, francesa e portuguesa, com cerca de 50 anos, foi detido pela GNR, por suspeitas de fogo posto em Aljustrel. O acusado foi retido pela população, no local, até as autoridades chegarem.

O incêndio atingiu duas lojas de produtos chineses, em Aljustrel, no distrito de Beja, e seis pessoas ficaram desalojadas na sequência do fogo. O autarca de Aljustrel, Carlos Teles, disse que as habitações dos desalojados, no primeiro andar do edifício, não foram atingidas pelas chamas, mas “o fogo danificou infraestruturas, nomeadamente os esgotos”. “Os dois apartamentos ficaram também sem condições de habitabilidade devido aos fumos”, adiantou.

O Presidente do município indicou que uma família de cinco elementos foi realojada em casa de amigos e uma outra pessoa, que mora sozinha, também encontrou alojamento temporário por meios próprios.

O incêndio, para o qual foi dado alerta às 10h21, atingiu duas lojas contíguas de venda de produtos chineses, no centro de Aljustrel, tendo sido extinto durante a tarde, de acordo com a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja.

Na sequência do incêndio, um bombeiro da corporação de Aljustrel e um militar da GNR foram transportados com ferimentos ligeiros para as urgências do hospital de Beja, devido à inalação de fumos.

O detido foi encaminhado para o posto de Aljustrel, adiantou uma fonte da GNR, referindo que a Polícia Judiciária foi chamada ao local.

O combate às chamas mobilizou bombeiros de várias corporações do distrito de Beja, a GNR e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), num total de 58 operacionais, apoiados por 23 veículos, incluindo uma viatura médica de emergência e reanimação (VMER).

 

Donativos LusoJornal
X