LusoJornal / Mário Cantarinha

Humorista José Cruz apresentou versão portuguesa de “En Construction”

José Cruz tem apresentado a versão portuguesa do seu espetáculo, “Em Construção”, na Boîte à Rire. O LusoJornal esteve presente para perceber as dificuldades que se podem encontrar na tradução, abordar os futuros meses com o artista, mas igualmente falar do público que tem aderido às duas versões visto que a sala estava cheia em Paris.

 

É mais complicado ter um espetáculo em português?

O espetáculo em português, como foi para o ‘Olá’, leva mais tempo porque eu nasci em França, o português é a língua dos meus pais. Tenho esta dupla cultura, francesa e portuguesa. Passo 11 meses em França e apenas três ou quatro semanas em Portugal, então não tenho o hábito de falar muito português. Mas eu trabalho com uma boa equipa e a ideia é fazer progredir o espetáculo cada vez mais, para que o português seja cada vez melhor. E também para fazer a adaptação total do espetáculo em francês, em versão portuguesa, o que leva muito tempo. Acho que o espetáculo vai mudar ainda muito, e vai continuar a crescer. Preciso de mais atuações.

 

Como tem reagido o público?

O público gostou muito do espetáculo, porque muita gente fica no fim do espetáculo para falar comigo, e isso é um sinal muito bom. Agora é continuar a trabalhar e melhorar tudo. Encontrar novas piadas como tenho encontrado com o público durante os espetáculos. Isto é o one man show: escreves um espetáculo e depois tem de ser modificado. Isto aconteceu por causa das interações com o público. Gosto muito disto e de adaptar o espetáculo em função do público presente. Tivemos por exemplo uma pessoa que chegou atrasado 20 minutos porque estava a estacionar o carro, isso também faz com que modifique o espetáculo (risos).

 

Durante o verão, vai haver uma tournée em território português?

A tournée em Portugal tem esse intuito de apresentar o espetáculo mas também de ganhar experiência e de interagir com as pessoas que vão estar em casa e à vontade. Quero falar com elas e aprender sempre. Eu sempre quis fazer um ‘road-trip’ por Portugal e descobrir Portugal de uma outra maneira. Eu conheço Portugal pelas minhas origens, Bragança, Trás-os-Montes, Algarve, bem como outras cidades como Porto e Lisboa. Mas queria descobrir Portugal de uma outra forma. Vou conhecer pessoas, vou mostrar o meu espetáculo e vou fazer quase como uma reportagem, mostrando às pessoas por onde vou passar, quer seja aos Franceses como aos Portugueses. É o Portugal das vilas, que não são conhecidas mas onde vão os emigrantes.

 

Para aqueles que querem ver José Cruz em Portugal, como podem contactá-lo?

Pelos jornais – pelo LusoJornal, por exemplo – as pessoas podem contactar-me pelas redes sociais, na minha página “José Cruz – Comédien Humoriste”. Eu também lanço o apelo pelo Youtube, pelo Instagram e pelo Facebook. As pessoas podem contactar-me para eu passar pelas cidades onde vão estar em Portugal. Têm de ter um jardim, porque quero atuar fora, quando a luz da lua começa a aparecer, por volta das 20h00, 21h00, e tem de haver pelo menos 25 pessoas. Se tudo correr bem, vou atuar a casa das pessoas, é gratuito. As pessoas não pagam, só têm apenas de me albergar e de me oferecer a comida para um ou dois dias, onde vou atuar, vou filmar e vou falar com as pessoas. Isto vai ser uma experiência para partilhar tradições, para partilhar momentos. Aliás eu guardo assuntos específicos para Portugal, que não vou mostrar aqui em França. O espetáculo não existe sem o público. Eu quero descobrir as pessoas, quero ter contactos com as pessoas, porque os meus espetáculos são para as pessoas e mostra o que elas vivem ou viveram.