Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

José Malhoa, Rui Bandeira e Papa London na festa dos Alegres do Norte de Ivry

LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes

José Malhoa, Rui Bandeira e Papa London foi o naipe de artistas escolhidos para a 6ª edição do evento “Alegres en Fête” organizado pela associação Alegres do Norte de Ivry-sur-Seine. O evento teve lugar no Parc des Cormailles e também participaram os Bombos Alegres de Pavillons-sous-Bois e os grupos folclóricos Lembranças de Águeda de Cachan, Unidos de Sartrouville, Terras do Minho de Kremlin Bicetre, Saudades de Portugal de Ste Geneviève-des-Bois e Cravos Dourados de Pavillons-sous-Bois.

Foram precisamente os ranchos folclóricos que começaram a festa. Depois cantou Rui Bandeira, Papa London e, para finalizar, José Malhoa.

“Esta associação fez uma excelente escolha de artistas” disse Rui Bandeira ao LusoJornal. “Eu com uma geração depois da do Zé Malhoa, eu com música romântico-popular, o Zé com uma carreira já invejável e depois o Papa London, um artista, digamos mais francês, que veio animar com os seus regatton. E a prova que foi uma boa escolha, é a moldura humana que se juntou aqui nesta festa”.

O público aderiu efetivamente à festa e encheu o recinto. “Está a ser sensacional. O público de França já me habituou a estes ambientes bons, é sempre agradável”.

E quando José Malhoa subiu ao palco, o público lá estava, na linha da frente, para aplaudir. “É muito agradável termos público que gosta de nós”. Com quase 50 anos de carreira, José Malhoa provou que tem ainda muitos fãs na região parisiense.

A tarde estava bonita, com um sol fantástico, que convidava a sair de casa. “Quando é assim, vale a pena sair de Portugal” dizia Rui Bandeira quando desceu do palco.

O público cantou com o artista. “Este é o salário do artista. É muito bom saber que as pessoas gostam de nos ouvir, vêm aos concertos, mas sobretudo fazem das nossas músicas as músicas delas e acompanham-nos a cantar” confidenciou Rui Bandeira ao LusoJornal. “É bom saber que as minhas canções chegam à mente das pessoas e depois elas cantam. É muito bom saber isso”.

 

LusoJornal Artigos

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
5.5
X