Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Kettlebell Sport: Mickael Alves Rodrigues foi recebido pelo Cônsul de Portugal

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

O atleta Mickael Alves Rodrigues, com vários títulos nacionais, europeus e mundiais na modalidade de Kettlebell Sport, foi recebido esta segunda-feira pelo Cônsul Geral de Portugal em Paris.

“Eu devo preocupar-me com o que se passa na Comunidade portuguesa e gosto de conhecer as pessoas” diz o Cônsul Geral Carlos Oliveira interrogado pelo LusoJornal.

Mickael Alves Rodrigues, que até agora integrava a Seleção francesa de Kettlebell Sport, passa agora a representar Portugal nas competições internacionais e espera que mais atletas com origem portuguesa se manifestem para constituir “uma Seleção de Portugal forte”.

“É muito importante que mantenha esta ligação com Portugal e esta ligação com Portugal não prejudica em nada o caráter desportivo” afirma Carlos Oliveira.

Mickael Alves Rodrigues nasceu em Villecresnes, na região parisiense e vive em Brie-Compte-Robert. Começou a praticar boxe com apenas 8 anos de idade, “por mero acaso”.

“Os meus pais trabalhavam muito e não tinham tempo para me levar ao futebol ou a outros desportos. Como tínhamos um ginásio de boxe logo perto da minha casa, foi mais cómodo para eles” disse ao LusoJornal. “Depois disso, fiz todos os Campeonatos nacionais e também integrei a Seleção francesa de boxe. Dos 8 aos 24 anos, fiz mais de 70 combates”.

Os pais do atleta são de Podence, perto de Macedo de Cavaleiros. “A minha mulher é de Podence. Eu sou um um povosinho pequeno mais na montanha” explica o pai de Mickael Alves Rodrigues, que acompanhou o filho ao Consulado português. “Agora tenho mais um anito e reformo-me. Cheguei a França com 9 anos, à cidade de Tours, e comecei a trabalhar aos 16 anos”.

Quando Mickael Alves Rodrigues estava a tirar o curso para ser treinador de boxe, interessou-se pelos métodos de preparação física dos países de Leste e foi assim que descobriu o Kettlebell Sport. Foi fazer uma formação na Rússia “e conheci lá o meu treinador atual, que é também o Selecionador de França. Ele estava a criar a primeira equipa de França de Kettlebell Sport, estava precisamente à procura de atletas e perguntou-me se eu queria fazer parte desta aventura. Foi assim que comecei” conta ao LusoJornal.

Entretanto Mickael Alves Rodrigues, passou a atleta profissional e cumula com as funções de “Coach desportivo”.

O princípio deste desporto é simples: durante meia hora, o atleta tem de levantar um peso de 32 kg, num braço, em gestos repetitivos. Numa variante, o peso é de 24 kg durante uma hora. “Eu fui Campeão do Mundo em 2016, na Dinamarca, com um peso 24 kg, durante uma hora, foram 750 repetições. E na Grécia, em Atenas, meio ano depois, fiz 800 repetições” explica ao Cônsul Geral de Portugal em Paris.

Recentemente surgiu a modalidade de 40 kg que os atletas devem levantar repetitivamente durante 10 minutos. “Como há poucos atletas com capacidade para esta disciplina, é aquela que eu atualmente estou a praticar”.

O treino de Mickael Alves Rodrigues é muito rigoroso. O treinador russo estabelece-lhe programas semanais. “Eu treino 6 dias por semana, só paro ao domingo, mas todos os dias é um treino diferente” explica ao LusoJornal. De resto, segue um regime alimentar de atleta de alta competição e tem uma “boa higiene de vida”.

Para além disso, continua a ser formador desportivo, especialista para atletas de boxe e de king-boxing.

Até aqui, Portugal não tinha uma Seleção de Kettlebell Sport. “Este desporto ainda não estava oficializado em Portugal. Está em Espanha, na Itália, na Inglaterra…” lamentou Mickael Alves Rodrigues. “Para se praticar este desporto, temos de ter um mental muito forte, temos de ser trabalhadores e eu acho que isto são características dos Portugueses”.

Foi o encontro com o atleta do Porto Eduardo Fonseca e a aproximação entre os dois homens que levou à oficialização deste desporto em Portugal. “Com a ajuda dos lusodescendentes, Portugal vai estar na alta competição”.

Por isso, ser recebido agora pelo Cônsul de Portugal em Paris foi simbólico. “É uma honra muito grande para mim, é um orgulho, este encontro é uma motivação suplementar para ganhar mais títulos para a Portugal” disse quando foi interrogado pelo LusoJornal que o acompanhou ao Consulado.

“Estamos contentes por sermos os testemunhos desse novo passo. Desejo-lhe muito sucesso e muitas vitórias nas disputas em que vai participar, agora com as cores de Portugal” concluiu Carlos Oliveira.

 

Mário Cantarinha com Carlos Pereira

 

Desporto
X