Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Ministério do Mar está a colaborar no caso da apreensão de uma embarcação portuguesa em França, devido à pesca de atum-rabilho, uma espécie protegida a nível internacional, cuja quota disponível em Portugal já foi atingida.

Fonte do gabinete da Ministra Ana Paula Vitorino disse que a situação do navio de pesca português “Vila do Infante” é da competência das autoridades francesas, “competindo a Portugal colaborar, prestar informação e cooperar”, no sentido de ver cumpridas as obrigações legais previstas na Política Comum de Pesca.

Em comunicado, a tutela esclareceu que a embarcação “Vila do Infante” foi detida pelas autoridades fiscalizadoras da pesca em França, na quinta-feira, pelas 18:14, no Porto de Lorient, “devido à falta de registo” de 18.000 quilogramas de atum-rabilho e tubarão sardo (espécie proibida) que se encontravam a bordo.

Segundo informação do Ministério do Mar, as autoridades francesas apreenderam o pescado e ordenaram a deslocação da embarcação para o Porto de Lorient, onde o navio de pesca ficou retido. “O pescado ilegalmente capturado vai ser destruído”, declarou a tutela.

Fonte do gabinete da ministra do Mar adiantou que o armador já prestou uma caução e deverá poder sair do porto após a autorização das entidades francesas, prevendo-se que as autoridades francesas instaurem “um processo de infração, cuja responsabilidade é da exclusividade do capitão da embarcação/armador”.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
10.0
X