Ministro das Comunidades de Cabo Verde apresenta “nova política” à diáspora em França

Comunidade

 

 

O Ministro das Comunidades de Cabo Verde, Jorge Santos, está em França para encontros com o Governo francês e com a diáspora, tendo anunciado um Conselho para as Comunidades e a nomeação de um novo Embaixador.

“Venho trazer a nova política que Cabo Verde está a inaugurar para a sua diáspora, que dá centralidade às nossas Comunidades e vê as Comunidades como uma extensão do seu território, principalmente no seu aspeto económico e social, mas acima de tudo reconhecendo a sua importância em todo o processo de desenvolvimento de Cabo Verde”, afirmou o Ministro em declarações à Lusa.

O Ministro vai participar durante a semana em vários encontros com a Comunidade, assim como reuniões de trabalho com as autoridades nacionais e locais.

Em Paris, Jorge Santos encontrou-se com Elisabeth Moreno, Ministra francesa da Igualdade que nasceu em Cabo Verde, e com um representante do Ministro dos Negócios Estrangeiros de forma a discutir novos programas de cooperação com França. “São programas importantes, relacionados com a promoção empresarial, principalmente dos jovens empreendedores. É um programa de valorização dos talentos da nossa Comunidade e a ligação entre as autoridades locais dos dois países”, indicou o Ministro.

Para Jorge Santos, antigo Presidente da Assembleia Nacional de Cabo Verde, este é o momento de olhar de outra forma para a Comunidade cabo-verdiana em França. A diáspora conta cada vez mais com jovens em posições de destaque em terras gaulesas e o governante quer criar um novo diálogo para atrair também mais investimento. “Cabo Verde está a criar um ecossistema de investimento externo, mas também com uma especificidade para a nossa diáspora. Nós já aprovámos o estatuto de investidor emigrante e temos um conjunto de incentivos fiscais”, frisou o Ministro.

Outra forma de manter o diálogo, segundo o governante, é criar um Conselho das Comunidades de Cabo Verde em todos os países onde está presente esta diáspora. Em França, onde a Comunidade se eleva a 60 mil pessoas, este Conselho seria também regional, com representantes da Comunidade em diversos pontos, como Paris ou Nice. “Este Conselho regional é um Conselho consultivo, que emite opiniões e faz o casamento entre a diáspora e o país”, resumiu o Ministro.

Acolhido na Embaixada de Cabo Verde na sexta-feira à noite por dezenas de figuras da Comunidade, o Ministro anunciou também que vai ser conhecido brevemente um novo protocolo para a alfândega de Cabo Verde, já que esta é uma das maiores queixas dos emigrantes que tentam fazer chegar às suas famílias diversos bens.

Outra “boa notícia” é o regresso à atividade da TACV, companhia aérea de Cabo Verde, que voltará a ter voos regulares com Paris no segundo semestre de 2022. “Nós conseguimos tirar a TACV do fundo do poço onde se encontrava e isso é um esforço grande nacional. Esse esforço só é justificado pela presença da nossa diáspora no Mundo. Temos de ter uma companhia que faça essa ligação. Já começámos as ligações com Portugal […], já faz as ilhas de Santiago, Sal e São Vicente. No segundo semestre vamos inaugurar os voos para Paris e para Boston”, declarou o Ministro.

Também os transportes inter-ilhas, a TACV está a adquirir novos aparelhos e tem “um programa de expansão” que prevê a ligação das ilhas cabo-verdianas com os diferentes países da região da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Sem Embaixador em França desde setembro de 2021, o Ministro das Comunidades de Cabo Verde avançou que a nomeação será conhecida “nos próximos dias”.

“É um processo que está em curso, penso que as eleições aqui em França não vão dificultar esse processo, é uma questão de dias. A decisão está na sua fase final e existem formalismos diplomáticos necessários e exigidos”, concluiu.

Jorge Santos foi encontrar-se no sábado com as Comunidades cabo-verdianas na região parisiense, partindo depois para Marseille, Nice e Lyon onde encontrará as Comunidades cabo-verdianas dessas cidades, assim como as autoridades locais.

Donativos LusoJornal