CCIFP

Ministro João Cravinho presidiu Jantar de Gala da Câmara de comércio franco-portuguesa

Empresas

 

O 14° Jantar de Gala da Câmara de comércio e indústria franco-portuguesa (CCIFP) teve lugar este ano em Paris, no Aéro-Club de France, no dia 9 de dezembro, com a presença do Ministro português dos negócios estrangeiros de Portugal, João Gomes Cravinho e do Embaixador de Portugal em França, José Augusto Duarte.

O Presidente da CCIFP, Carlos Vinhas Pereira, no discurso de abertura, relevou a importância das relações entre os dois países e apresentou o trabalho efetuado em 2022, nomeadamente a assinatura do Protocolo com a cidade de Batalha ou ainda a parceria com o Instituto Camões para dar aulas de português de negócios aos colaboradores de empresas.

Vários projetos estão em curso para 2023, sem esquecer a abertura de mais Delegações da CCIFP em França, cuja próxima será na cidade de Strasbourg.

O Ministro dos negócios estrangeiros fez um discurso pondo em relevo a importância da “aliança” entre os dois países, sobre a qual podemos contar “num contexto particular e complicado onde tudo está a mudar”.

Para as empresas portuguesas, o mercado francês continua a ser um mercado extremamente importante para a exportação em todos os setores. Em 2021, a França era o segundo cliente de Portugal para as mercadorias e o terceiro fornecedor nacional. O interesse português no mercado francês reflete-se no número crescente de empresas portuguesas que exportam para França, a proximidade geográfica e cultural entre os dois países, a acessibilidade rodoviária e aérea, o reconhecimento de Portugal como um país que fabrica qualitativamente, contribui para o fortalecimento das relações existentes entre as empresas dos dois países.

João Gomes Cravinho salientou que Portugal beneficia de uma imagem de estabilidade e de segurança, “no plano político é confirmada essa estabilidade até 2026”. “Portugal faz parte dos países mais seguros do mundo, o que é atraente para os empreendedores do mundo inteiro, incluindo os franceses”.

O Ministro parabenizou o trabalho efetuado pela CCIFP, contribuindo para a mobilização da comunidade dos negócios em benefício das relações luso-francesas.

“Perante um contexto político, económico profundamente complexo, exigente, a invasão da Ucrânia pela Rússia provocou uma instabilidade política, social, económica nunca antes visto na Europa, com uma inflação elevada, perturbações nas cadeias de aprovisionamento e dos fornecimentos, a subida de preços da energia, isso tudo fez com que a economia mundial viva uma grande pressão” disse João Gomes Cravinho. “As alterações climatéricas, as transições digitais, as transições energéticas aumentam e essa complexidade dos tempos exige uma atenção e uma ambição renovada. A colaboração entre a França e Portugal será essencial para responder a todos esses desafios”.

O Ministro salientou ainda que nesse dia 9 de dezembro, também se deu seguimento do projeto de gasoduto de hidrogénio, em estreita colaboração com a Espanha e a França, na cimeira dos países do sul da Europa, um passo importante para “a nova carta geoeconómica da Europa”.

Acrescentou que Portugal é um país com talento e com recursos humanos de qualidade, é um país inovador com um ecossistema de startups em expansão, dotado de um sistema de infraestruturas de ponta, é um país também com qualidade de vida muito importante, moderno, capaz de responder aos novos desafios no contexto internacional, aos desafios tecnológicos, à digitalização, à mudança ambiental.

Dois aspetos foram mencionados pelo Ministro: a centralidade da inovação e a vitalidade da Comunidade portuguesa. “A inovação está no centro da capacidade da informação das empresas portuguesas porque são líderes no setor do desenvolvimento tecnológico, nas transições digitais, nas transições energéticas, são inovadores no processo de fabricação nos setores tradicionais como a indústria têxtil, o calçado e um setor muito importante para a economia portuguesa é o setor aeronáutico, efetivamente as exportações no setor aeronáutico valem duas a três vezes às exportações dos vinhos”.

João Gomes Cravinho também elogiou a Comunidade portuguesa, considerada “importante e relevante”, de grande valor em França, “uma mais-valia na qual se deve investir mais”, evocou a Temporada Cruzada França Portugal “que foi um franco sucesso consolidando a confiança entre os dois países”.

Finalizou o discurso deixando essa mensagem: “É tempo de reagir face às mudanças, é tempo de concertar as nossas ações, é tempo de executar as nossas ambições”.

Durante a Cerimónia, foram entregues os troféus às empresas vencedoras e Julien dos Santos, gerente da loja de vinhos Portologia Paris e da marca de vinhos Heritage, fez uma demonstração com a técnica de “ouverture à la pince” de uma  garrafa de vinho do Porto LBV 2016 Heritage. Foi um momento muito apreciado e depois houve a degustação do vinho para acompanhar a sobremesa com chocolate.

O Presidente Carlos Vinhas Pereira agradeceu todos os patrocinadores presentes e o jantar acabou da melhor forma, ouvindo a fadista Cuca Roseta, que transmitiu muita emoção cantando várias canções conhecidas, da “Rua do Capelão” até à “La Vie en Rose” de Edith Piaf.

 

Constructel é Empresa do Ano

Troféu CCIFP / Banque BCP “Produto do ano”: Azurel Propreté (Luís Simões)

Troféu CCIFP / Santander “Eco responsável”: Envalia (Eric Rambour)

Troféu CCIFP / Banque Delubac & Cie “Inovação”: Mon Notaire Conseil (Nuno Monteiro)

Troféu CCIFP / Fernandes & Associés “Membro do Ano”: MRTI Transports (Mário Martins)

Troféu CCIFP / Nexity “Ator imobiliário português”: Infante & Riu (René Riu)

Troféu CCIFP / Delegação Occitanie: Nitro Telecom (Nicolas Martins)

Troféu CCIFP / Delegação Setúbal: “Palpite Sábio” (João Lopes)

Troféu CCIFP / Delegação Nouvelle Aquitaine: Amorim France (Frank Autard)

Troféu CCIFP / Delegação PACA: Catarina Clemente de Barros

Troféu CCIFP / CGD “Jovem empresa”: Agencity Promotion (Manuel Soutelo)

Troféu CCIFP / Fidelidade “Empresa do Ano”: Construtel Groupe Visabeira (Paulo Almeida)

 

Donativos LusoJornal