Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Caravela

 

Quem plantou em mim

Esta saudade sem fim;

Verde, Vermelha, Ilusão

Ventura pr’além do mar!

 

Óh gente do meu País!

Tão longe de ti

Perto aqui no meu peito:

– A quem devo este destino!

 

Sonho constante da Lusa Mãe

(transportado noutra Nação)

Outra língua, Ventura;

Embalado no Tejo

Deslizado no Sena

 

Ah Se pudesse transpor!

Nas cordas duma guitarra

Sal, Sol, Dor, Amor,

A terra onde nasci;

(tudo trago a tear n’alma)

 

Sou de lá emigrante

Sou de cá imigrante

Onda A ir A vir

(Ponte d’arco-irís)

Uma Janela aberta:

Uma Caravela Feliz.

 

Olga Diegues

25 de fevereiro de 2017

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 6 Votos
7.5
X