Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Cultura

 

Um espetáculo de apresentação do CD “Alentejo Ensemble”, do Rancho de Cantadores de Paris, mas também concertos, lançamentos de discos e apresentação de livros, compõem a Festa do Cante 2022, que arrancou na sexta-feira, em Serpa (Beja), para comemorar os oito anos do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

A iniciativa vai decorrer até 27 de novembro, em Serpa, mas também em Lisboa, e destina-se a comemorar a entrada do cante na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O evento, organizado pela Câmara de Serpa e pelo Museu do Cante Alentejano, com o apoio da Casa do Alentejo, em Lisboa, e da Direção Regional de Cultura do Alentejo, visa também “divulgar o cante e promover o convívio, a partilha e a troca de experiências entre cantadores e público”, realçaram esta semana os promotores.

A edição deste ano da Festa do Cante arrancou, na sexta-feira, ao fim da tarde, Cineteatro Municipal de Serpa, com o espetáculo de apresentação do CD “Alentejo Ensemble”, do Rancho de Cantadores de Paris.

Este é “o primeiro grupo multinacional de cante” e “nenhum dos membros é alentejano”, integrando “apenas um português”, explicou a Câmara municipal, referindo-se a Carlos Balbino, o responsável do grupo.

O trabalho discográfico “Alentejo Ensemble” apresenta “um conjunto de modas emblemáticas do Alentejo, mas com uma roupagem contemporânea”.

O disco, gravado por seis membros do grupo, “apresenta várias correntes, desde o tradicional ‘à capella’ a novos arranjos para instrumentos elétricos, passando pelos grupos de jovens e de mulheres”, indicou a organização.

A apresentação em Serpa contou com as participações do Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa, Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento, Grupo Coral Feminino As Ceifeiras de Pias, Grupo Coral e Etnográfico da Academia Sénior de Serpa e Os Alentejanos.

O cante alentejano, canto coletivo sem instrumentos, tornou-se Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco, a 27 de novembro de 2014, graças a uma candidatura apresentada pela Câmara de Serpa e pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

 

Donativos LusoJornal
X