Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

No final de uma reunião com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, e com o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, em Lisboa, a Secretária-geral do Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Diplomáticas, Rosa Teixeira Ribeiro, mostrou sinais de contentamento classificou o encontro como “produtivo”.

O principal assunto em cima da mesa dizia respeito aos trabalhadores consulares no Brasil. Em causa está uma decisão do Executivo português de 2013 que determinou que os vencimentos dos funcionários do quadro seriam pagos em reais (moeda corrente brasileira), a uma taxa de câmbio fictício de 2,63. Em agosto, o euro estava cotado a 5,27 reais.

Segundo Rosa Teixeira Ribeiro, irá ser aplicada uma “atualização extraordinária” para minimizar as perdas que estes trabalhadores têm sofrido. “Será um balão de oxigénio muito grande”, concluiu a responsável sindical, sublinhando a abertura do Governo para a resolução desta questão que se arrasta há quase uma década.

A portaria que concretizará esta atualização extraordinária, com efeitos retroativos a janeiro, está no Ministério das Finanças e deverá anteceder outras compensações até que a situação esteja resolvida, nomeadamente através da revisão das tabelas salariais, em curso e já com novas reuniões agendadas, disse.

“Para o futuro, estes trabalhadores irão ter a tabela salarial em euros, como todos os outros trabalhadores”, assegurou.

O Ministro e o Secretário de Estado mostraram ainda, segundo a sindicalista, vontade de analisar e resolver a questão da falta de proteção social e em alguns casos de reforma que atinge vários trabalhadores portugueses em missões diplomáticas.

 

Donativos LusoJornal
X