Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Cultura

 

A atriz e encenadora Isabel Costa é a criadora portuguesa escolhida para participar na Residência internacional para criadores de teatro promovida pelo Camões – Centro Cultural Português em Paris, em outubro de 2022.

Esta iniciativa é uma parceria entre o Camões – Centro Cultural Português em Paris, dirigido por Isabel Corte-Real e o Centro Cultural Irlandês de Paris com o Teatro Nacional D. Maria II.

A “International Residency for Theatre-Makers” destina-se a quatro criadores de teatro, oriundos de Portugal, Irlanda, Grécia e Lituânia, e pretende apoiar o desenvolvimento da prática teatral em contexto internacional. A residência terá lugar em Paris durante o mês de outubro e incluirá oportunidades de networking para os quatro criadores de teatro selecionados, bem como acesso privilegiado a espetáculos, workshops e atividades.

Nesta Residência, Isabel Costa irá desenvolver o projeto “O Som e a Fúria”, partindo do romance do norte-americano William Faulkner com o mesmo título. O espetáculo terá como ponto de partida a sua narrativa, a criação de um espaço sonoro para o fim de um tempo e a perspetiva da personagem feminina ausente do romance Caddy Compson.

O espetáculo tem estreia marcada para março de 2023, em Montemor-o-Novo, no Espaço do Tempo. Este projeto conta com a produção criativa e o apoio ao espaço sonoro de Joana Kramer Horta.

Isabel Costa tem 30 anos, trabalha em teatro, cinema e em curadoria. É diplomada em teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema, tendo completado a sua formação na Universidade de Warwick (Inglaterra) e na UNIRIO, no Rio de Janeiro. É membro da companhia de teatro “Os Possessos” desde 2014.

Em 2016 terminou o mestrado Erasmus Mundus Crossways in Cultural Narratives, tendo passado pela Universidade Nova de Lisboa, pela Universidade de Perpignan, em França, e pela Universidade de Guelph, no Canadá.

Em cinema, trabalhou com Miguel Clara Vasconcelos, Miguel Nunes, Guilherme Daniel, Pedro Neves Marques, Leonor Noivo e Susana Nobre.

Em 2017 apresentou a sua primeira criação “Estufa-Fria-A Caminho de uma Nova Esfera de Relações” na Bienal de Jovens Criadores. Em 2019 dirigiu as criações “Maratona de Manifestos” e “Salão Para o Século XXI”. Apresentou o seu trabalho no Museu MAAT, no Teatro Municipal do Porto – Rivoli, no Festival Cumplicidades, na Galeria Hosek Contemporary, em Berlim, e no Festival Temps d’Images. Em 2020/21 assinou a curadoria do “Ciclo de Reenactments – Performance Arte Portuguesa”.

Já em 2022, assinou a curadoria do ciclo “Sound and Future – Four Tools to Unblock the Present”, na Plataforma Revólver.

No final de 2021 foi-lhe atribuída a Bolsa de Criação Espaço do Tempo BPI Fundação La Caixa, para o espetáculo “O Som e a Fúria”, que estreará em 2023.

 

Donativos LusoJornal
X