Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

O Conselho de administração da Cívica, a associação de autarcas franceses de origem portuguesa, organizou a sua primeira reunião do ano 2022 no Senado francês.

Foi uma reunião de trabalhos considerada “importante” pelo Presidente Paulo Marques, porque reuniu todos os elementos do Conselho de administração, “demonstrando a mobilização dos seus membros”.

Vários dossiers foram abordados. O primeiro, considerado como “principal”, é o contacto que está a ser feito com os mais de 7.500 autarcas de origem portuguesa em França. “Depois de terem sido identificados e os contactos postais verificados, queremos contactar os autarcas este mês para poder proporcionar a todas e a todos a possibilidade de integrarem a nossa estrutura, de usufruir das nossas atividades e de poderem ser atores deste ano particular da nossa dupla pertença, com a Temporada França-Portugal” diz ao LusoJornal Maria de Jesus Carlos, Maire-Adjointe de Sainte-Geneviève-des-Bois.

Os autarcas de origem portuguesa em França querem ter um “papel fundamental” na promoção da “Saison croisée France-Portugal”. “Por ter lugar nos nossos territórios, temos a noção que o sucesso deste evento passa pela intervenção dos autarcas. Assim, decidimos, como primeira medida do ano, contactar os membros da nossa base de dados até ao fim do mês” diz Júlia Vappereau, autarca do Loiret e Tesoureira da Cívica. “Vamos solicitar os luso-eleitos para que promovam a sua lusodescendência aproveitando este evento bilateral que consideramos ser uma oportunidade de dar a conhecer outras realidades”.

A reunião contou com o agendamento das ações aprovadas no último Plenário da Cívica “e que reverte de uma certa intensidade” explica Paulo Marques, salientando a realização do Congresso de 2022 em Paris, ações em prol do ensino do português em França, o Fórum Cívica no Congresso dos Maires da Região Île-de-France, de 28 a 29 de junho, a realização do Village Portugal na festa das Tradições Populares de Aulnay-sous-Bois a 3 de julho, a tradução do livro BD “Manuel, l’enfant qui avait de grandes mains”, a realização da visita de estudo a Portugal, o programa semanal “Luso Élus de France” na plataforma do LusoJornal e as várias ações territoriais.

“Aproveitamos também este ano eleitoral para reiterar alguns dos dossiers ainda pendentes com contactos aos candidatos às eleições presidenciais. O ensino, as relações entre diásporas europeias a viver fora do seu território, o apoio ao movimento associativo, as relações com as coletividades territoriais,…” explica Paulo Marques. “Ao contactarmos os mais de 7.500 autarcas da nossa base de dados, iremos ter uma rede maior e mais poderosa em cada território, com presença portuguesa. A curto prazo, iniciar-se-á a realização de um Congresso de maior envergadura, com a presença de um maior número de luso-eleitos de França e integrando de forma mais ativa as autoridades portuguesas e francesas”.

O Presidente da Cívica diz que “para Portugal é essencial ter um maior conhecimento desta realidade autárquica em França. Pois lastimamos os dados errados do Observatório da emigração que não tomou em consideração os mais de 7.500 autarcas de França e diminuindo para 600 os luso-eleitos no mundo, quando entre dois mandatos, os autarcas de França passaram de 4.000 a perto de 8.000 a exercer funções desde as eleições de 2020” diz Paulo Marques, também Maire-Adjoint em Aulnay-sous-Bois.

Para além do Presidente Paulo Marques, estiveram também presentes Maria de Jesus Carlos, Secretária, Júlia Vappereau, Fernando Rodrigues, Sandra Pina Moniz, Vasco Coelho, Cristela de Oliveira, Manuel Aparicio e Pedro Capitão.

 

Donativos LusoJornal

 

X