Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Exposição de Manuel Cargaleiro na Império

Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima Alfredo Lima

A seguradora Império inaugurou na sexta-feira da semana passada uma exposição algo inédita, com uma coleção de 20 anos de cartões de Boas Festas realizados pelo Mestre Manuel Cargaleiro. O evento marcou também a mudança de Diretor Geral da Império, que deixa de ser Vitalino de Ascensão, para passar a ser Diogo Teixeira.

“Eu comecei a trabalhar na Império em Portugal em 1980 e com o primeiro salário que eu tive, fui comprar uma gravura de Manuel Cargaleiro” explicou Vitalino de Ascensão ao LusoJornal. “Estava longe de imaginar que alguns anos depois o iria encontrar em Paris e que ele ia ser meu amigo”.

Vitalino de Ascensão diz que a Império tem uma “antiga tradição” de ajudar os artistas. Aliás, José Santos Teixeira, o fundador da empresa em França, também estava presente e lembrou que “quando eu deixei as funções em Paris e regressei a Lisboa para dirigir a Império em Portugal, um jornal de cá tinha duas linhas sobre a minha ação de segurador e o resto do artigo era sobre a ajuda que nós demos aos artistas portugueses” disse numa curta intervenção, dirigindo-se ao Conselheiro cultural da Embaixada de Portugal, João Pinharanda, também presente. “Curiosamente, o Manuel Cargaleiro foi o único que não ajudei, porque já era conhecido e já não necessitava da nossa ajuda”.

“Cada vez se fazem menos cartões de Boas Festas porque hoje é tudo eletrónico, mas eu nesta questão ainda sou relativamente tradicional” disse Vitalino de Ascensão. “Há 20 anos que tomei a iniciativa de pedir ao Manuel Cargaleiro para nos fazer um cartão de Boas Festas. Nunca pensei que a iniciativa durasse tanto tempo e espero que dure ainda mais”.

Manuel Cargaleiro estava visivelmente contente com a exposição. “Eu conheço a Império desde o início, desde que se instalou num pequeno apartamento em Paris. Era amigo do Santos Teixeira e foi assim que tivemos a ideia de fazer um cartão de Boas Festas para a Império e isto dura há 20 anos”.

Nas paredes, Manuel Cargaleiro via desfilar os anos, comentava a cor de uma das criações, o tipo de letra de outra. “Eu divirto-me a fazer isto” conta ao LusoJornal. “Eu já tenho 92 anos. Achei que este ano, como faz 20 anos, isto ia terminar, mas agora pedem-me por mais 10 anos” diz a sorrir. “Seja o que Deus quiser”.

“Sabe, eu no fundo brinco um bocado com isto. A sério, divirto-me. Os primeiros já não têm nada a ver com os mais recentes. É engraçado ver a evolução. No fundo, este é um cartão de Boas Festas que eu também dou a todos os Portugueses”.

Para Diogo Teixeira, que agora assume a Direção Geral da Império, “Manuel Cargaleiro é um artista, mas também é um amigo. Partilha muito dos valores da Império. O facto de viver com um pé em França e outro em Portugal, o facto de ter acompanhado esta chegada da Comunidade portuguesa a França nos anos 50 e nos anos 70 a Império, e o facto de ter esta dupla cultura, estes duplos amores. É uma pessoa que partilha também a nossa visão do futuro, um futuro com otimismo, com vontade de continuar a ver o mundo com olhos novos, a evoluir, a crescer, a ter dinamismo e a vida do Manuel Cargaleiro, com 92 anos, é de facto, para nós, uma mostra de otimismo e gostaríamos todos de continuar a acompanhá-lo durante muitos anos”.

O Embaixador de Portugal em França, Jorge Torres Pereira, também estava presente na inauguração da exposição que vai continuar patente ao público nos corredores da seguradora Império, em Levallois-Perret.

 

LusoJornal Artigos

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
6.2
X