Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Cultura

 

Em julho, o Festival de Cinema de Marseille vai dedicar parte da programação a Portugal, com cinema português em estreia e a presença de vários produtores e realizadores.

Na seleção oficial da 33ª edição do Festival estarão as curtas-metragens “Paz”, de Marta Ramos e José Oliveira, “O banho”, de Maria Inês Gonçalves, e “Oso”, de Bruno Lourenço.

Na competição internacional estará o filme “Quarries”, de Ellie Ga, coproduzido entre Portugal, França e Suécia, onde a artista visual norte-americana vive e trabalha.

Para a competição francesa foi selecionada, em estreia mundial, a curta-metragem “Enjoy the weather: The film”, da ‘performer’ portuguesa Teresa Silva, inspirada na leitura da obra “A vida das plantas”, de Emanuele Coccia.

Por outro lado, o júri oficial do Festival de Marseille contará com as realizadoras Maureen Fazendeiro e Luísa Homem e com o realizador João Pedro Rodrigues, que apresentará, em sessão especial, o filme “Fogo-Fátuo”.

No âmbito da Temporada Cruzada Portugal-França, e em parceria com o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), o Festival de Marseille contará com a presença de “uma delegação de produtores portugueses”, que apresentarão projetos na secção FIDLab.

Contactada pela Lusa, fonte do ICA explicou que a seleção dos produtores presentes em Marseille caberá ao Festival e que será oportunamente revelada.

No programa FIDLab, o Festival anunciou apenas a apresentação do projeto “As estações”, primeira longa-metragem da realizadora luso-francesa Maureen Fazendeiro, que em 2021 correalizou “Os diários de otsoga” com Miguel Gomes.

O realizador espanhol Albert Serra terá uma retrospetiva em Marseille, sendo exibidos vários filmes que o cineasta rodou com coprodução portuguesa pela Rosa Filmes, nomeadamente “A morte de Luís XIV” (2016), “Rei Sol” (2018) e o mais recente “Pacifiction – Tourment sur les îles”.

O Festival de Cinema de Marseille, focado no documentário, decorrerá de 05 a 11 de julho.

 

Donativos LusoJornal
X