Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

O filme “Avó dezanove e o segredo do soviético”, do moçambicano João Ribeiro, que adapta uma história do escritor angolano Ondjaki, está programado em França, no festival francês des Cinémas d’Afrique du Pays d’Apt, que vai ter lugar entre os dias 22 e 28 de janeiro de 2021.

O filme foi recentemente nomeado para cinco categorias dos Prémios Kisima de Música e Cinema de África, atribuídos no Quénia.

O filme “Avó dezanove e o segredo do soviético” teve estreia mundial em fevereiro, em Los Angeles, nos Estados Unidos, no Festival de Cinema Pan-Africano.

De acordo com a produtora portuguesa Fado Filmes, trata-se de uma coprodução entre Moçambique, Portugal e Brasil, e o elenco conta com três jovens atores como protagonistas, Keanu dos Santos, Caio Canda e Thainara Barbosa, aos quais se juntaram Anabela Adrianopoulos, Dmitry Bogomolov, Filimone Meigos e Flavio Bauraqui.

“Avó dezanove e o segredo do soviético” é uma adaptação do romance homónimo de Ondjaki, publicado em 2008, com o qual foi finalista do antigo prémio Portugal Telecom, e venceu o prémio brasileiro Jabuti, na categoria de literatura para jovens.

O cenário desta ficção, inspirada nas memórias de infância do autor, é Luanda, na década de 1980, nomeadamente o bairro da Praia do Bispo e as suas crianças, durante as obras de construção do mausoléu de Agostinho Neto, primeiro Presidente da República de Angola.

Numa nota explicativa, de apresentação da obra, o realizador moçambicano considera que este romance se lê como “um livro de aventuras” e tem “características muito peculiares, uma mistura de memórias de infância com fantasia onírica, um olhar sobre um momento da História recheado de pequenas estórias”.

Depois da estreia em Los Angeles, o filme recebeu o prémio de Melhor Longa-Metragem de Ficção, no Plateau – Festival Internacional de Cinema da Cidade da Praia, em Cabo Verde, e foi selecionado para a Semana de Cinema Africano de Maputo, para o Festival du Film Panafricain de Cannes e para o Black International Cinema de Berlim.

Em 2021, o filme irá ser exibido no Festival de Cinema Africano de Nova Iorque.

“Avó dezanove e o segredo do soviético” contou com apoio financeiro do programa Ibermedia, da agência Ancine (Brasil) e do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), de Portugal.

João Ribeiro, nascido em Moçambique, em 1962, é autor de curtas e longas-metragens, tendo feito a estreia com “Fogata”, em 1992, a partir de um texto de Mia Couto.

A anterior longa-metragem, “O último voo do flamingo”, é também é uma adaptação de um romance de Mia Couto.

 

Cultura
X