Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Filme sobre o Soldado Milhões sai esta sexta-feira em DVD em França

Cultura

 

“Héros des Flandres” é o nome da versão francesa do filme “Soldado Milhões” dos realizadores portugueses Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa, lançado em Portugal em 2018 e que sai esta semana em DVD e em Blu-Ray.

O lançamento está previsto para dia 21 de outubro, sexta-feira, e pode desde já sem comprado nas plataformas habituais. O filme tem em bónus, o documentário “Les Héritiers de la Bataille de La Lys” de Carlos Pereira.

“Aníbal Augusto Milhais nada mais queria do que viver em paz, mas foi perseguido até ao fim pela aura de heroicidade, atribuída pelos que matou em nome de Portugal” diz a apresentação do filme que foi difundido pela RTP. “A história surge das memórias de guerra, atiçadas no decorrer de uma caçada. Nesta busca, Milhões guia-nos na sua luta pela sobrevivência 20 anos antes, em plena Primeira Guerra Mundial”.

Na madrugada de 9 de abril de 1918, dezenas de divisões alemãs irromperam pelo sector defendido pela segunda divisão do Corpo Expedicionário Português (CEP). Em poucas horas, naquela que ficaria conhecida como Batalha de La Lys, perderam-se mais de 7.500 homens, entre mortos, feridos, desaparecidos ou prisoneiros. Milhais recusa as ordens do Capitão e fica sozinho, frente a um regimento de soldados alemães, para salvar os companheiros em retirada. Isolado e perdido em território inimigo apenas com a sua metralhadora ‘Luisinha’ e o seu amuleto da sorte, o lenço oferecido pela amada, Milhais enfrenta o seu maior desafio”.

Natural de Valongo, uma aldeia no concelho de Murça (distrito de Vila Real), Aníbal Augusto Milhais foi condecorado com a mais alta honraria nacional – a Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito. Foi, até agora, o único soldado raso a ter recebido tamanha condecoração.

O filme (85 minutos) refere-se à Batalha de La Lys, na primavera de 1918. Quando os soldados da segunda divisão, entre os quais Aníbal Augusto Milhões, se preparavam para, enfim, recuarem e descansarem depois de terem estado longos meses nas trincheiras da linha da frente, as forças alemãs decidiram iniciar uma ofensiva. Foi uma ofensiva sangrenta, mas foi o início do fim da guerra. O Armistício foi assinado alguns meses depois.

A 5 de julho de 1924, o Parlamento português alterou o nome da povoação de Valongo, para Valongo de Milhais, em sua honra, mas quando o condecoraram disseram-lhe “Chamas-te Milhais, mas vales milhões” e daí o nome que alguns dos seus filhos acabaram por herdar.

O filme, com argumento de Mário Botequilha e Jorge Paixão da Costa, e música de Pedro Janela, conta com a interpretação de João Arrais, Miguel Borges, Raimundo Cosme, Isac Graça, Tiago Teotónio Pereira, Ivo Canelas, Graciano Dias, Nuno Pardal, Lúcia Moniz e António Pedro Cerdeira.

 

Donativos LusoJornal
X