Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O antigo Presidente brasileiro Lula da Silva recebeu esta segunda-feira o título de Cidadão honorário da capital francesa, mostrando-se comprometido a lutar contra o atual Governo no Brasil. “Estou muito motivado e podem acreditar numa coisa. Eu tenho 74 anos de idade, mas tenho energia de 30 […]. Estou mais motivado que nunca a reconquistar a democracia no nosso país e o direito do nosso povo ser feliz”, afirmou Luiz Inácio Lula da Silva no seu discurso, na Mairie de Paris, perante centenas de pessoas em Paris.

O antigo Presidente da República do Brasil foi recebido nos salões nobres da Mairie de Paris esta segunda-feira à tarde, tendo a seu lado a sua sucessora, Dilma Roussef, e Fernando Haddad, candidato do Partido dos Trabalhadores na última eleição presidencial brasileira (2018), e recebeu das mãos da autarca parisiense, Anne Hidalgo, o título de Cidadão honorário da capital.

Esta distinção tinha sido conferida a Lula de Silva em outubro do ano passado, quando o ex-líder brasileiro ainda estava preso. O título, segundo Anne Hidalgo, foi-lhe atribuído na esperança de ajudar na sua libertação. “Achámos que o título de Cidadão honorário poderia proteger e ajudar Lula a ser libertado”, indicou a autarca, fazendo eco de uma primeira conversa que teve com Dilma Rousseff no final do verão passado.

No seu discurso, em frente a um público que gritava ‘slogans’ como “Lula guerreiro”, o antigo Presidente disse que a distinção na altura o tinha deixado “muito feliz”, mas que o que o mais surpreendeu foram as reações à sua volta. “Quando soube que tinha recebido este prémio aqui em Paris fiquei muito feliz, mas fiquei muito impressionado porque os carcereiros da polícia federal, que me estavam guardando, também ficaram felizes. Porque para eles era uma coisa inusitada um preso receber um prémio e porque eles também tinham a certeza que eu era inocente”, indicou.

Sobre a atual situação no Brasil, Lula da Silva não poupou críticas à governação de Jair Bolsonaro. “O que está ocorrendo no Brasil é o resultado de um processo de enfraquecimento do processo democrático estimulado pela ganância de uns poucos e por um desprezo mesquinho pelo direito do povo”, afirmou.

O Conselheiro de Paris com a pasta da Europa, o lusodescendente Hermano Sanches Ruivo, esteve reunido com Lula da Silva e reforçou o espírito positivo do antigo Presidente. “Lula está com uma vontade muito concreta que é recuperar os seus direitos cívicos, a sua honra e mostrar que ele não mereceu o tratamento que recebeu. Ele está em boa forma e mostrou vontade de fazer várias coisas aqui em Paris”, contou Hermano Sanches Ruivo.

Lula da Silva seguiu depois da homenagem na Mairie de Paris para um evento de campanha de Anne Hidalgo, que se recandidata à liderança de Paris e vai enfrentar a primeira volta das eleições já no dia 15 de março.

Esta terça-feira, ainda na capital de França, Lula é o convidado principal do Festival “Lula Livre em Paris” onde irá discursar, havendo depois várias manifestações culturais.

O antigo Chefe de Estado foi condenado em dois processos por corrupção e tem pelo menos sete outras investigações contra si. Esteve preso durante 580 dias, tendo sido colocado em liberdade em novembro passado.

Lula da Silva foi condenado em terceira instância a 08 anos e 10 meses por corrupção passiva e branqueamento de capitais depois de ser considerado culpado de receber um apartamento de luxo na cidade do Guarujá, litoral do estado brasileiro de São Paulo, em troca de favores políticos à construtora da OAS.

A outra pena que pesa sobre Lula da Silva é de 17 anos e um mês de prisão num caso sobre a posse e reformas executadas numa quinta na cidade de Atibaia, no interior do estado de São Paulo, que terão sido executadas alegadamente como pagamento de suborno feito pelas construtoras OAS e Odebrecht.

Lula da Silva sempre negou todas as acusações e diz ser vítima de perseguição judicial executada por pessoas que têm ambições políticas.

 

Comunidade
X