Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Cultura

 

O álbum “Tudo por vocês” do cantor Helder Santana, radicado em Givors, na região de Lyon, onde é proprietário de um restaurante português, já saiu no verão do ano passado, mas num contexto pandémico complicado, vai saindo pouco a pouco do anonimato. O cantor passou este verão pelos palcos da televisão para promover a obra.

Helder Santana nasceu em Espinho, mas cresceu em Esmoriz até emigrar para França, há cerca de 10 anos. É filho de uma cantora conhecida em Esmoriz, Leonor Garcia. “A música faz parte da minha cultura desde pequenino” confessa ao LusoJornal.

Há muito que Helder Santana queria dedicar-se mais à música, mas a oportunidade foi sempre sendo adiada. Durante alguns anos apresentou sessões de karaoke e participou em vários concursos televisivos, mas a escolha recaía sempre noutros candidatos. “Nunca fui escolhido para continuar, mas eu nunca desisti do meu sonho. Os sonhos podem-se tornar realidade quando nós acreditamos”.

Foi precisamente num sonho que Helder Santana ganhou as forças necessárias para dar “o grande salto” e gravar um primeiro álbum. “Foi num sonho, alguém me disse ‘Chegou a tua vez’. Era alguém que existiu e que continua a existir na minha vida e está sempre presente comigo. Foi uma situação pessoal que se passou na minha vida e então eu agarrei essa mensagem” confessa numa entrevista ao LusoJornal. “Aquela pessoa querida vai ficar sempre comigo apesar de já ter partido. Então, transformei aquela mensagem em realidade. Tomei todas as atitudes necessárias para que a situação pudesse avançar”.

A maior parte das letras são da autoria do próprio Helder Santana. “Os temas têm todos um toque pessoal. Quase toda a gente já passou por uma situação como por exemplo perder um grande amor”.

O artista faz referência ao tema “Amigo, ainda choro”. Conta que “perdi um grande amor e que eu podia ter recuperado. Se calhar eu não lhe dei o valor que esse amor deveria ter tido e então acabamos por perder coisas na nossa vida quando não sabemos valorizar” explica numa entrevista ao LusoJornal.

Outro tema que destaca chama-se “Mil Anos” e “é dedicado a todas as mães do mundo. As mães são especiais para todos nós e eu acho que dificilmente alguém não gosta de uma mãe. Eu não quero ferir suscetibilidades, mas em geral, a mãe é fundamental na nossa vida, educa-nos, dá-nos a essência da nossa vida. Este tema é dedicado a todas as guerreiras. Todos nós queríamos que as nossas mães ficassem connosco pelo menos durante 1000 anos, no fundo era a eternidade”.

Para este álbum, Helder Santana orgulha-se de ter o apoio da editora Vidisco e de contar com um produtor musical como Lucas Júnior. “Eu não podia calhar em melhores mãos. Estou muito satisfeito com esta escolha.

A situação de pandemia não permitiu que o disco tivesse a promoção que poderia ter tido, mas acaba agora por ter mais visibilidade. “O meu álbum é um álbum romântico. Eu sou um romântico por natureza, mas tem ali alguns temas que são mais para dançar e nós achámos também que era melhor assim, para agradar todas as faixas etárias”.

 

Ver a entrevista AQUI.

 

Donativos LusoJornal
X