Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

“bpm”, o terceiro álbum de Salvador Sobral em nome próprio, no qual assina, pela primeira vez, as composições, ao lado do músico e produtor venezuelano Leonardo Aldrey, foi gravado em janeiro, em França e sairá a 28 de maio. Será apresentado ao vivo a partir de junho, em Portugal e em Espanha.

O álbum foi gravado com os músicos Abe Rábade (piano), André Rosinha (contrabaixo), André Santos (guitarra) e Bruno Pedroso (bateria).

Do alinhamento fazem parte 14 temas, entre os quais “Sangue do meu sangue” – o primeiro single -, “Sem voz”, “Bom vento”, e ainda “Fui ver o meu amor”, coescrito com Luísa Sobral, “Só eu sei”, criado com Jenna Thiam, e “Aplauso dentro”, com a participação da cantora Margarida Campelo.

A propósito do título do novo álbum, Salvador Sobral explica, em comunicado, que advém de uma “insónia produtiva”: “Tomo várias decisões nas diferentes áreas da vida durante as minhas insónias. Chamo-lhes IPs (insónias produtivas). O nome do álbum é fruto de uma IP. Numa reflexão sobre a música e a vida, chego à conclusão de que o elemento mais forte que as une são os bpm (batimentos por minuto)”.

O músico anuncia concertos de apresentação deste novo álbum a partir de junho, em Lisboa, Bragança, Porto e Almada, assim como em Barcelona, Madrid e Málaga.

Em nome próprio, Salvador Sobral editou os álbuns “Excuse me” (2016) e “Paris, Lisboa” (2019), aos quais junta projetos nos quais participou com outros músicos, nomeadamente Alexander Search, Alma Nuestra e Noko Woi, que divide com Leonardo Aldrey.

Nascido em Lisboa, em 1989, Salvador Sobral também venceu em 2017 o Festival Eurovisão da Canção com a música “Amar pelos dois”, escrita pela irmã, Luísa Sobral.

 

Cultura
X