Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Começou na segunda-feira no tribunal de recurso de Limoges, em França, o processo de reapreciação da condenação de Rosa Maria da Cruz, a portuguesa de 51 anos que levou cinco anos de prisão, com três anos de pena suspensa, por ter escondido a filha na mala do carro e lhe causou danos irreversíveis de desenvolvimento durante dois anos.

O Ministério Público francês recorreu da decisão, que teve como pena acessória a perda da custódia parental de Rosa Maria da Cruz sobre a filha, Serena. O processo vai decorrer até 16 de outubro.

A sentença de cinco anos, com três anos de pena suspensa, foi proferida em novembro de 2018 num tribunal da Corrèze e na altura o Ministério Público decidiu recorrer. A sentença pedida inicialmente pelo Ministério Público tinha sido de oito anos, apesar de os crimes de Rosa Maria da Cruz terem pena máxima de 20 anos de prisão.

 

A História

Serena, filha da Portuguesa Rosa Maria da Cruz, foi encontrada em 2013 dentro da mala de um carro quando tinha dois anos. A mãe escondeu a gravidez e a criança, até esta ter sido descoberta por um mecânico.

Rosa Maria da Cruz já mudou várias vezes a versão dos factos, mas acabou por pedir “perdão” à filha durante o processo. A menina, hoje com oito anos, que A menina, que está com uma família adotiva, apresenta sinais de autismo profundo e tem um desenvolvimento mental de uma criança de 2-3 anos.

 

Linda de Suza 19/20
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
9.7
X