Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Prémio de Mérito Escolar “João Pina” entregue a Reclusos da Guarda

João Pina firmou pelo segundo ano consecutivo um “Acordo de Parceria no Âmbito do Ensino Escolar” com o Estabelecimento Prisional da Guarda – Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

O “Prémio João Pina”, num total de 9 prémios pecuniários, foi entregue numa cerimónia que decorreu no passado dia 5 de setembro, no estabelecimento prisional da Guarda (Cursos de Educação e Formação de Adultos, EFA), dois prémios de assiduidade e um montante para ajuda da aquisição de material escolar para esta organização.

Na sessão estiveram presentes o Diretor do Estabelecimento Prisional da Guarda, a Diretora do Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque, os docentes que acompanharam o percurso destes cidadãos premiados, bem como familiares e amigos dos mesmos.

João Pina fez-se representar por um amigo Guardense de longa data, Pedro Nobre, que enalteceu a forma de estar deste Português residente em França, sempre atento para com as necessidades de todos, na sua cidade natal. Igualmente o Diretor do Estabelecimento prisional agradeceu o facto de João Pina ter agraciado, uma vez mais, os reclusos com este prémio monetário de incentivo e recompensa. “João Pina é um cidadão da Guarda e é um amigo deste Estabelecimento Prisional” disse na sua intervenção.

De salientar que 3 destes prémios não foram entregues pessoalmente porque os premiados já se encontram em “liberdade”, agora certamente mais capacitados para enfrentarem a reintegração em liberdade.

A cerimónia contou ainda com vários momentos musicais ao som dos “Meia Dúzia”, um grupo muito animado, constituído neste Estabelecimento.

Foi notória a alegria e “brilho” nos olhos dos premiados ao receberem os diplomas, os prémios. Para os restantes, que os não receberam, foi certamente um momento de motivação para o ano letivo que está prestes a iniciar.

Para João Pina todas as ajudas “são especiais”, mas esta em concreto “deixa-me de sorriso nos lábios por saber que apesar de estarem condicionados da liberdade exterior, estão a tornar-se cidadãos mais fortes e com mais competências na área escolar. O mundo cá fora espera por estes cidadãos, agora que sabem que a liberdade não tem preço”.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 6 Votos
5.1
X