Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Cultura

 

Quatro galerias lusófonas estão entre as 38 galerias internacionais que vão participar na sétima edição da feira de arte e design africano AKAA, entre 20 e 23 de outubro, no Carreau du Temple, em Paris.

O certame vai apresentar um total de 129 artistas oriundos de 35 países da África, Europa, Oceânia e Américas, nomeadamente, os ligados a Portugal, como Cabo Verde, Angola, Moçambique, Brasil e São Tomé e Príncipe, de acordo com a informação enviada à Lusa pela organização.

A Movart e a This is Not a White Cube são as galerias com espaços em Luanda e Lisboa, enquanto a Perve Galeria e a Krystel Ann Art têm a sua sede na capital portuguesa.

 

A galeria Movart, fundada em Luanda, Angola, em 2017, com espaço também em Lisboa, desde 2020, é um projeto de Janire Bilbao que tem vindo a estar presente em feiras de arte em Madrid, Paris, Londres, Nova Iorque e Miami.

Atualmente, em Luanda, dedica-se sobretudo a apoiar projetos de residências de artistas para a descoberta de novos talentos, enquanto em Lisboa promove exposições que sirvam para introduzir novos nomes no mercado da arte.

Nesta edição da AKAA apresenta obras dos artistas Alice Marcelino, Fidel Évora, Kwame Sousa e Keyezua.

 

This is Not a White Cube é outra galeria nascida em Luanda e também com espaço em Lisboa, que trabalha habitualmente com artistas emergentes e já estabelecidos, e cujo programa de atividades se concentra em discussões associadas ao continente africano e a sua diáspora, mas não exclusivamente à criação artística lusófona.

No certame de arte e design vai apresentar obras dos artistas Bete Marques, Pedro Pires e Barbara Wildenboer.

 

A Perve Galeria, situada no centro histórico de Lisboa, apresenta exposições de arte moderna e contemporânea desde 2000, desenvolvendo projetos artísticos, culturais e tecnológicos, nacionais e internacionais, dando ênfase a artistas oriundos dos países de língua oficial portuguesa. José Chambel, Alberto Chissano, Bertina Lopes, Malangatana, Teresa Rosa d’Oliveira, Reinata Sadimba e Ernesto Shikani são os artistas com obras representadas pela Perve no certame.

 

A Krystel Ann Art, uma galeria fundada em 2016, pelos colecionadores Guadelupe, Olivier Tarsis, e Chrystelle Mirabli, vocacionada para a promoção de artistas afrodescendentes, colabora com projetos de apresentação de estéticas crioulas e com curadores que elaboram um discurso descolonizador da cultura negra.

Nesta edição da feira vão apresentar obras de José Garcia Cordero, David Gumbs e Marielle Plaisir.

 

A feira AKAA terá ainda um programa paralelo de debates – este ano sob o tema do movimento, por proposta da diretora artística Armelle Dakouo – aberto à participação de artistas, colecionadores, curadores e jornalistas, sobre o panorama da arte contemporânea africana.

 

Donativos LusoJornal
X