Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A bactéria ‘Xylella fastidiosa’ foi detetada em plantas de lavanda no jardim de um ‘zoo’ em Vila Nova de Gaia, nos arredores da cidade do Porto, neste mês de janeiro.

É a primeira vez que é detetada em Portugal, mas desde 2015, têm sido detetadas diferentes subespécies da bactéria em França, Espanha e Itália em espécies ornamentais e também agrícolas.

 

Preocupação cresce em Portugal porque não há cura

Uma das subespécies, ‘Multíplex’, está associada a 58 espécies de plantas, entre elas, a amendoeira, a cerejeira, a ameixeira, a oliveira, o sobreiro, ou ainda a figueira entre outras.

Recorde-se que a região de Trás-os-Montes gera no setor da olivicultura cerca de 30 milhões de euros para a economia portuguesa e é a segunda maior produtora de azeite, a seguir ao Alentejo.

O Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, já assegurou que o Governo tem um plano de contingência para fazer face à bactéria ‘Xylella fastidiosa’.

Não há cura para esta bactéria, que ataca oliveiras e amendoeiras, e que foi detetada num jardim de um ‘zoo’, ou seja, não numa zona agrícola.

Fonte do Zoo de Santo Inácio, em Vila Nova de Gaia, assegurou que, após consulta da tutela, a planta detetada foi destruída imediatamente.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
9.6
X