Camané e Agnés Jaoui na abertura do Festival Chantiers d’Europe

O Théâtre de la Ville, dirigido pelo franco-português Emmanuel Demarcy-Mota, volta a ter programação portuguesa. Este ano, e no âmbito das comemorações do tratado de amizade Paris-Lisboa, a abertura do Festival, dia 14 de maio, às 21h00, no Espace Cardin, ficará a cargo do fadista Camané, que para a ocasião convidou a cantora e realizadora francesa Agnès Jaoui.

O «Chantiers d’Europe» é um festival multicultural criado em 2010 a partir da ideia, segundo o seu Diretor em entrevista à Lusa, que a «Europa tem de ser construída por uma ação artística e cultural e não só de um ponto de vista económico» com o objetivo de ajudar os «artistas a circular e a não ficarem fechados em países que estavam economicamente numa crise muito forte». Por isso a presença dos países da Europa do Sul como a Itália, a Grécia, Espanha e Portugal, mais tocados pela crise económica, estão omnipresentes nas sucessivas edições do «Chantiers d’Europe».

No que diz respeito à promoção da cultura portuguesa em França, Demarcy-Mota defende que é importante «mostrar que Portugal também tem uma vitalidade artística, que não é só um país de sol e de férias, que não é só um país mais barato que a França, onde as pessoas são simpáticas» e que «é um país que também tem uma visão de futuro e não é só um país que está atrás do sistema francês ou alemão dentro da construção europeia».

A edição do «Chantiers d’Europe» 2018 terá lugar de 14 a 30 de maio e para além do concerto inaugural, a programação portuguesa conta com, dias 14 e 15 de maio, o espetáculo «Portugal não é um país pequeno», da companhia Hotel Europa com o português André Amálio e a checa Tereza Havlíková, e dia 16 de maio com a coreografia em vídeo «Um Saco e uma Pedra – peça de dança para ecrã» de Tânia Carvalho.

No dia 17 de maio, o coletivo Teatro Praga vai apresentar, no Théâtre des Abbesses, o espetáculo «Before» dirigido por Pedro Penim.

Ainda no Espace Cardin, nos dias 21 e 22 de maio, a Companhia de Música Teatral vai apresentar o espetáculo «Babelim» que tem com público-alvo as crianças de um ano e meio aos sete anos.

Durante o festival vão, igualmente, estar em residência o compositor Diogo Alvim e a fotógrafa Estelle Valente.

Para a próxima edição em 2019, ano de eleições europeias, Demarcy-Mota já anunciou que o festival se vai chamar «Chantiers d’Europe-Chantiers du Monde» com o objetivo de serem trabalhados temas que questionam a relação da Europa com o Mundo. O Diretor do Théâtre de La Ville mostrou-se preocupado com a subida da extrema direita e defendeu que o «Chantiers d’Europe é um momento em que se trabalha contra a ideia da xenofobia» para «não deixar alguns povos voltarem a uma noção de identidade ligada ao nacionalismo».

 

www.theatredelaville-paris.com/fr/spectacles/saison-2017-2018/chantiers-deurope

 

 

[pro_ad_display_adzone id=”9774″]