Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

Durante o período de confinamento decretado pelas autoridades francesas, o LusoJornal vai transmitir em direto as eucaristias dominicais do Santuário de Nossa Senhora de Fátima de Paris, celebradas pelo Reitor Nuno Aurélio.

O Santuário não fecha durante o confinamento, mas não haverá cerimónias religiosas com público. “Este fim de semana porém há uma exceção, há tolerância, e vamos ainda celebrar a missa com público” explica ao LusoJornal o Reitor do Santuário, referindo-se às celebrações do Dia de Todos os Santos.

O Santuário de Nossa Senhora de Fátima de Paris é um ponto de encontro habitual de fiéis não apenas de Paris, mas também de várias outras cidades à volta da capital. Mas Nuno Aurélio considera que esta situação de confinamento perturba fortemente a relação com a comunidade. “Os que tinham deixado de participar na Eucaristia durante o primeiro confinamento, não voltaram todos, uma parte significativa porventura ainda estava com medo de sair de casa, de ir à igreja, embora a igreja, a meu ver, talvez seja dos espaços com público mais seguros, porque conseguimos aplicar as regras que nos são impostas, as pessoas respeitam, não diria a mesma coisa dos transportes públicos, por exemplo” diz ao LusoJornal. “Há pessoas que não vieram porque habituaram-se a acompanhar a missa pela televisão e há também alguns que se calhar até já perderam o hábito de tudo”.

Para o Reitor do Santuário, é importante guardar uma relação com a comunidade e a ligação “virtual” não pode deixar de ser “excecional”.

Nuno Aurélio considera que esta situação de confinamento “vai ter consequências humanas, espirituais e até económicas. Nós falamos em empresas, mas as comunidades católicas, que vivem de donativos, pagam impostos e salários, têm encargos sociais… tudo isto tem custos e é caro. A partir do momento em que não há frequência, não há encontro, as receitas diminuem drasticamente. Se isto continuar assim, vamos ter falências, vamos ter que despedir funcionários, empregados, não sei como vai ser”.

A celebração do Dia de Todos os Santos é uma “data bonita” diz o padre português há vários anos à frente do Santuário mariano de Paris. “Na festa de Todos os Santos nós celebramos não apenas os Santos do calendário, que até já não cabem no calendário de todos os dias do ano, vamos celebrar a sua avó, uma prima, um vizinho… estamos a celebrar os Santos anónimos, toda essa multidão imensa de pessoas, que conhecemos ou não, que viveram antes de nós, que já morreram, mas que estão em Deus e sobre as quais não se conhece muito, sobre as quais nunca há nenhum processo canónico para uma santificação”.

É neste quadro que vai ter lugar este sábado a habitual missa em português, às 19h00, e no domingo vai ter lugar a missa, também em português, às 11h00, já habitualmente transmitida pela Rádio Alfa e que agora passa também a ser transmitida pelo LusoJornal, durante o confinamento da segunda vaga da pandemia de Covid-19.

A transmissão pode ser seguida nas redes sociais do LusoJornal (Facebook e Youtube), mas também nas redes sociais do próprio Santuário.

 

Religião
X