Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Embaixada de Portugal em França assinala 500 anos da morte de Fernão de Magalhães

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha
Donativos LusoJornal

 

O aniversário da morte do navegador português, Fernão de Magalhães, foi assinalado ontem em Paris através de uma leitura encenada e a instalação de um poster gigante da dupla de artistas portugueses Borderlovers.

“Não podíamos deixar passar este dia, porque, como é evidente, a circum-navegação depois deixou de ser liderada por Magalhães. Aproveitámos o facto de haver uma rua Magellan em Paris e lembrámo-nos de fazer alguma coisa junto da placa”, explicou Jorge Torres Pereira, Embaixador de Portugal em França, em declarações à Lusa.

A homenagem aconteceu assim no oitavo bairro da capital francesa, onde se situa a rua Magellan – adaptação do nome do navegador português em francês -, contando com a presença da autarca do oitavo bairro, Jeanne d’Hauteserre, e do Maire Adjoint de Paris responsável pela Europa, Hermano Sanches Ruivo.

Para além da instalação temporária de um poster criado pela dupla de artistas portugueses Borderlovers, o ator português Jorge Tomé recitou em francês a crónica de Antonio Pigafetta sobre a morte de Fernão de Magalhães.

Apesar da adaptação do nome navegador português para francês, o diplomata considera que o povo francês conhece as origens lusas de Fernão de Magalhães.

“As pessoas sabem que ele é português, mas não sabem que a viagem terminou em Sevilha e não em Lisboa. Que Magellan é português toda a gente sabe, mas que Magellan se chama Magalhães, nem toda a gente sabe”, acrescentou.

Do exemplo de Magalhães, Jorge Torres Pereira gostava que a Comunidade portuguesa guardasse a capacidade de “planificação” e reconhece que ter uma figura assim conhecida em França é “ótimo para a autoestima” dos lusodescendentes.

A homenagem vai continuar no dia 03 de junho, altura em que a Embaixada vai organizar uma conferência com o historiador Michel Chandeigne, especialista em Fernão de Magalhães, colocando o inovador navegar em diálogo com a exploração espacial.

 

Ver a cerimónia AQUI.

 

Comunidade
X