Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

A Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, disse esta tarde que o Governo está a acompanhar “de perto” a situação dos trabalhadores sazonais de Lourdes, que se encontram sem trabalho porque o turismo religioso está parado. “O nosso compromisso é continuar a acompanhar a Comunidade portuguesa de Lourdes. O Vice Cônsul de Portugal em Toulouse fará esse acompanhamento em articulação com a Mairie, em espaço próprio” disse a Secretária de Estado à RDP internacional.

“Tendo em conta que alguns destes trabalhadores sazonais estão há mais de 5 anos a viver em Lourdes, embora trabalhem só uma parte do ano, vamos ver com a Adida de Segurança Social se, de facto, eles terão mais apoio das autoridades francesas” explica a Secretária de Estado Berta Nunes.

O Vice-Cônsul de Portugal em Toulouse, Miguel da Costa, deslocou-se ontem a Lourdes para se inteirar da situação dos trabalhadores sazonais portugueses “depois de ter coordenado essa deslocação com a Mairie e com a Associação dos trabalhadores sazonais de Lourdes” explicou Berta Nunes. “Recebeu 11 famílias portuguesas, algumas necessitavam de atos consulares, mas eram famílias que podiam ter mais dificuldades”.

Manuela Gonçalves, Vice-Presidente da associação, confirma ao LusoJornal que escolheu as famílias que estavam em situação mais difícil para poderem expor os seus casos e acrescenta que “estou contente que o Governo português acompanhe a nossa situação”.

“Temos um contacto muito bom com o senhor Vice Cônsul, temos o telemóvel dele e em caso de problema sabemos que temos canal aberto” diz Manuela Gonçalves ao LusoJornal. “Ele vai passar a vir cá mais vezes para acompanhar a nossa situação”.

Miguel da Costa reuniu com o Maire de Lourdes. “O contacto com a Mairie foi bastante importante” afirma Berta Nunes. “O Maire está bastante sensibilizado para esta questão e assume a responsabilidade, com as autoridades francesas, de acompanhar todas estas famílias e irá fazê-lo agora também com o Vice-Cônsul de Portugal”.

O Maire Thierry Lavit disponibilizou um espaço para que Miguel da Costa encontrasse os dirigentes da associação e os Portugueses em situação mais difícil e Berta Nunes diz que haverá mais deslocações a Lourdes.

“Ele esteve aqui todo o dia, falou connosco, ouviu as pessoas. Sabemos que as decisões são do Estado francês, mas no que depender dele, ele prometeu ajuda” garante Manuela Gonçalves ao LusoJornal.

O assunto foi levantado por uma reportagem do canal de televisão SIC e depois deslocou-se a Lourdes a Conselheira das Comunidades, Carolina Amado. Mas Berta Nunes disse que a situação até é melhor agora já que “duas pessoas citadas pela reportagem já encontraram trabalho, uma a tempo inteiro e outra a meio tempo”.

“O casal mais crítico estava a viver unicamente com a ajuda da associação e de familiares. O homem arranjou trabalho e os familiares ajudaram a comprar um pequeno scooter para ele se poder deslocar. Agora, devagarinho, vão endireitar a vida. Graças a Deus tiveram sorte com o senhorio que lhes deu a chance de pagar as rendas em atraso aos poucos, durante os próximos meses” explicou Manuela Gonçalves ao LusoJornal. “Um senhorio com coração gigante e compreensível com a situação em que estamos”.

Por outro lado, confirma ainda que uma senhora que também surge na reportagem da SIC também já encontrou “um contrato curto. Começou na semana passada, não sabemos como vai ser, se vão renovar ou não” explica Manuela Gonçalves.

A Secretária de Estado garante pois que “temos uma situação de tem de ser acompanhada e vai ser acompanhada”, mas acrescenta também que a situação “poderá, ao longo do tempo, melhorar ou agravar-se. Melhorará se, de facto, a economia e o turismo religioso em Lourdes for reativado este ano, caso isso não aconteça, pode agravar alguma situação que já hoje é difícil”.

Daí ser importante que Portugal mantenha esta “pressão” junto das autoridades francesas.

 

Entretanto, a Associação dos trabalhadores sazonais de Lourdes continua a recolher fundos e bens de primeira necessidade para apoiar as famílias mais necessitadas e lança um apelo às “pessoas que queiram ajudar” AQUI.

 

Comunidade
X