Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O português Miguel Oliveira com uma KTM da equipa francesa Tech3 conquistou pela primeira vez uma vitória no Mundial de MotoGP, ao vencer o Grande Prémio de Estíria, em Spielberg, na Áustria, quinta prova do campeonato.

Miguel Oliveira, que tinha como melhor resultado o sexto lugar em Brno, na República Checa, seguia no terceiro lugar e, na última curva, aproveitou a ‘luta’ entre o australiano Jack Miller (Ducati) e o espanhol Pol Espargaró (KTM), que ficaram a 0,316 e 0,540 segundos, respetivamente, para, pela primeira vez, subir ao pódio.

O português partiu do sétimo lugar da grelha e conquistou várias posições na segunda partida, para as últimas 12 voltas, depois do acidente do espanhol Maverick Viñales (Yamaha).

Com este resultado, Miguel Oliveira somou 43 pontos e subiu do 14.º ao nono lugar da classificação de pilotos, que continua a ser liderada pelo francês Fabio Quartararo (Yamaha), com 70, mais três do que o italiano Andrea Dovizioso (Ducati).

De notar que é também o primeiro triunfo em Moto GP para a equipa francesa Tech3 liderada por Hervé Poncharal. A equipa Tech3 ocupa agora o 7° lugar na classificação por equipas com 56 pontos, enquanto a equipa Petronas Yamaha SRT lidera com 102 pontos.

A próxima etapa do Mundial de MotoGP, que vai terminar em Portimão, em 22 de novembro, está marcada para 13 de setembro, em Misano, em Itália.

Miguel Oliveira fez história

“Fizemos história para Portugal”, afirmou Miguel Oliveira (KTM), após ter conquistado a primeira vitória de um português no Mundial de MotoGP, ao vencer o Grande Prémio de Estíria, na Áustria.

“Não sei o que dizer, estou muito emocionado. Há tanto que gostaria de dizer. Quero começar por agradecer a toda a gente que acreditou em mim, a começar pela família, à equipa, os patrocinadores, os fãs portugueses, mostrámos que somos os melhores”, começou por dizer o português, após o triunfo na quinta prova da temporada.

Prosseguindo com o agradecimento ao “apoio” dos adeptos, Miguel Oliveira destacou o feito, inédito, do motociclismo nacional.

“Fizemos história para Portugal. Não podia estar mais feliz por tê-lo conseguido aqui em casa da Red Bull e da KTM”, sublinhou o piloto da Tech3.

Miguel Oliveira, que cumpre a segunda temporada em MotoGP, tinha como melhor resultado o sexto lugar no Grande Prémio da República Checa, em Brno, disputado em 09 de agosto último.

O português seguia no terceiro lugar e, na última curva do circuito de Spielberg, aproveitou a ‘luta’ entre o australiano Jack Miller (Ducati) e o espanhol Pol Espargaro (KTM) para vencer a corrida.

Jack Miller, que terminou no segundo lugar, felicitou Oliveira, destacando “a importância da vitória do Miguel para Portugal”.

Hervé Poncharal agradece piloto português

“Que dia incrível, com imensas emoções. Estamos há 40 anos nisto e nunca tínhamos ganho uma corrida de MotoGP. Honestamente, pensei que este dia nunca iria acontecer e hoje foi o realizar de um sonho. Aqui na Áustria, em frente aos nossos patrocinadores principais, que é a Red Bull, em frente à gestão da KTM, o nosso construtor… Para ser sincero, esta manhã estava tão desanimado depois de ver os meus pilotos de Moto3 colidirem quando lutavam pelo pódio [Deniz Oncu e Ayumu Sasaki]. Pensei que talvez fosse hora de me retirar, porque quando estás tão envolvido acabas por ficar muito triste por este tipo de coisas. E agora sou a pessoa mais feliz do mundo. Só as corridas te podem dar estes altos e baixos de emoções”, começou por apontar o chefe da estrutura francesa, que depois seguiu para os agradecimentos.

“Quero agradecer à Red Bull e KTM, pois sem eles não seria possível. Quero também dedicar a vitória ao próprio Miguel, pois tem lutado imenso. O primeiro ano não foi fácil, especialmente porque se lesionou na segunda metade da época. Temos sido rápidos desde o início, a moto evoluiu, ele evoluiu, mas nunca fomos capazes de mostrar o que valíamos por causa de circunstâncias de corrida. Mas agora conseguimos! Estou muito orgulhoso dos meus dois KTM. Agora esta é uma das motos a bater. Fizemos um incrível trabalho na fábrica, com os engenheiros, com a equipa de testes juntamente com Dani Pedrosa. Claro que os quatro pilotos ajudaram imenso”, assumiu.

Por fim, novos elogios à estrutura da KTM e a promessa de que o trabalho não ficará por aqui. “Trabalhei com várias construtoras e este grupo é ainda mais especial. Disseram que estavam prontos para competir e não é apenas um ‘slogan’, é mesmo real. Há um envolvimento muito grande, uma enorme paixão pela corrida e isso é contagiante. Vamos celebrar e esperar que surjam mais dias como este no futuro. Mas hoje quero agradecer ao Miguel, ao Iker, que fez uma fantástica corrida », concluiu o francês Hervé Poncharal, patrão da equipa Tech3.

X