Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Seis amigos decidiram tentar uma aventura de ‘motards’. O desafio é ligar Massy, na Região parisiense, a Portugal com duas chegadas, uma em Arcos de Valdevez e outra em Paredes de Coura.

O pontapé de saída desta viagem ocorreu no sábado. O primeiro dia permitiu ligar Massy a Limoges onde os cinco ‘motards’ e o sexto elemento que os acompanha com a “carrinha de apoio” tinham um compromisso com uns amigos que os acolheram.

A história é contada por um dos participantes, Dinis Pereira Amorim, de 49 anos: “Tínhamos uma etapa importante. Tínhamos de passar pela casa de um colega em Limoges que nos convida para jantar na casa dele. Faz parte desses convívios que podemos ter ao longo da viagem. Era a única etapa dita ‘obrigatória’. Durante o resto da viagem, não temos assim compromissos. Temos é de todos os dias, por volta do meio-dia, tentar encontrar um hotel para dormir”, assegurou o ‘motard’.

A ideia desta viagem surge há cerca de dois anos: “Em agosto de 2017, éramos seis ou sete, juntamo-nos, pegamos nas motos e fomos com as nossas esposas passear para a Espanha. Andámos quase todo o dia em cima das motos. E foi assim que surgiu a ideia. Gostámos da curta viagem e queríamos fazer uma viagem maior. Nesse dia de agosto fizemos mais de 300 quilómetros e tudo correu bem. Foi assim que nasceu o projeto”, admitiu Dinis Pereira Amorim.

O prazer de estar em cima de motos é que levou estes amigos a seguirem viagem: “Somos cinco a fazer a viagem em cima das motos. Se houver algum problema, temos mais duas na carrinha de apoio. É o nosso prazer, o nosso lazer, a nossa paixão viajar em cima destas motorizadas. Guiamos duas ‘Casal’, duas ‘Sachs’, e uma ‘Zundapp’, sendo que na carrinha há uma ‘Vespa’ e uma outra ‘Zundapp’. Admito que a ‘Vespa’ não faz muito parte da história das motos que se viam em Portugal, sobretudo no Minho (risos)”.

“Todas as motos têm à volta dos 30 anos, cada um levando a ‘sua’ moto. Mas para mim não é o meu primeiro desafio, já fiz várias viagens até Portugal, porque adoro viajar de moto”, afirmou ao LusoJornal.

Apesar de ser uma viagem de apaixonados, há um objetivo a cumprir: “Temos de chegar a Portugal na terça-feira 30 de abril ou na quarta-feira 1 de maio. Temos lá pessoas que estão à nossa espera”.

“É preciso dizer que vamos pelas estradas regionais e nacionais, não podemos ir pelas autoestradas. A velocidade das motos é de 50-55 km/h nas subidas, 70 km/h em fases normais, e 100 km/h nas descidas. Mas não podemos ir ao máximo. Temos de poupar a mecânica para chegar a bom porto. Mas o nosso objetivo é estar na fronteira de Lindoso na terça à noite ou na quarta de manhã, que é feriado. Dois motoclubes, amigos e familiares vão estar lá à nossa espera. Depois para terminar a nossa viagem, vamos até Arcos de Valdevez e Paredes de Coura”, concluiu Dinis Pereira Amorim ao LusoJornal.

De referir que quatro dos cinco ‘motards’ vivem em França, enquanto o quinto mora em Portugal, mas por causa do trabalho está muitas vezes em território francês. Quanto às cidades de origem em Portugal, dois são de Acros de Valdevez, dois de Paredes de Coura, e um de Vila Praia de Âncora.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 7 Votos
8.3
X