Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Cultura popular: Grupo folclórico Rosas da Primavera de Rives

Nome da associação: Association folklorique portugais de Rives

Data de criação da associação: Outubro de 1996

Cidade: Rives (38), Isère

Nome do Presidente: Luís de Oliveira Martins

Telefone: 04.76.91.05.64

Mail: luisana@sfr.fr

 

Nome do grupo folclórico: Rosas da Primavera

Data de criação: Março de 1997

Região: Minho

Nome do ensaiador: José Martins

Telefone: 07.50.69.19.86

Mail: isabel-jose@orange.fr

 

_____________________________

Quando e porque foi criado o grupo?

O grupo foi criado em março de 1997, com o objetivo de promover a cultura portuguesa na nossa região.

 

Qual é a região que o grupo representa e porquê esta região?

A região do Minho, onde a maioria dos membros do grupo são originários.

 

O grupo tem alguma particularidade que se possa destacar?

Juntamente com a Mairie de Rives, estabeleceu-se a geminação com Refojos de Basto, uma freguesia de Cabeceiras de Basto, vila natal do Presidente da associação.

 

O grupo é federado na Federação do folclore português?

Não, não é federado, é muito complicado a concretizar, mas gostaríamos muito de pertencer à Federação de folclore Português.

 

Quantos elementos tem o grupo?

O nosso grupo é composto por cerca de 50 pessoas, três tocadores de concertinas, 15 dançarinos masculinos e 15 dançarinos femininos, mais os cantores e cantoras do grupo e os que tocam outros instrumentos. A mais jovem do grupo tem 4 anos, e o que tem mais idade já conta 80 anos, mas o nosso grupo é constituído com uma média de idades situada nos 20 anos.

 

O grupo já gravou algum CD?

Sim, já gravámos um CD com o título Rosas da Primavera em 2006, e um DVD em 2008.

 

O grupo organiza algum Festival?

Sim, todos os anos organizamos 1 a 2 festivais, um em março e outro no final do ano, em Rives.

 

Que outros eventos organiza?

Coorganizámos também o festival internacional e um jantar com animação.

 

Qual a saída que mais marcou o grupo?

Por ano nós temos mais ou menos 10 saídas. Das melhores saídas foram internacionais… a Ribeira de Pena, Cabeceiras de Basto, Mónaco, e regionais, a Montpellier.

 

Quais as principais dificuldades do grupo?

Temos por vezes dificuldade em motivar os jovens para integrar o grupo folclórico, de modo a poder continuar a representar a nossa cultura.

 

Tem algum apoio da Mairie de Rives?

Sim, temos o empréstimo da sala para os ensaios e a sala de festas para a realização dos nossos eventos.

 

E tem apoio de Portugal?

Sim, a Câmara municipal de Cabeceiras de Basto e o Consulado de Portugal em Lyon motivam-nos moralmente e convidam-nos a participar em certos eventos.

 

Qual é o principal sonho do grupo?

O nosso sonho é realizar ainda mais festas portuguesas, numa outra região ou regiões de França.

 

Como se porta o folclore português em França?

Aqui em França, o folclore começa cada vez mais a perder força e torna-se complicado motivar os jovens de hoje. Estes estão cada vez menos interessados pela cultura portuguesa. Infelizmente o folclore português em França tornou-se cada vez mais competitivo em vez de festivo, o que não corresponde à nossa cultura.

 

LusoJornal Artigos
X