Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

 

Secretário da Estado das Comunidades Portuguesas anunciou esta semana numa entrevista à RDP internacional, a criação de um Plano estratégico de políticas para os Portugueses residentes no estrangeiro.

“Os meus antecessores fizeram um trabalho extraordinário com projetos de alto significado para a melhoria da qualidade de vida dos Portugueses residentes no estrangeiro, mas falta, na minha opinião, um Plano estratégico de políticas para as nossas diáspora” diz Paulo Cafôfo.

“Naquilo que fazemos no dia a dia e em todas as legislaturas, em todos os programas de Governo, há ações concretas, mas falta um plano estratégico. Tenho essa intenção de fazer um plano estratégico de políticas para as Comunidades, para podermos ter um rumo, um chapéu que nos permita saber o que é que queremos das Comunidades, o que é que queremos da nossa diáspora e depois de sabermos o que queremos, saber como concretizar” explicou o governante.

Paulo Cafôfo diz que este Plano estratégico lhe parece “essencial” e promete “auscultar as entidades que diretamente têm responsabilidades e representam as Comunidades”. Considera que é uma “forma inovadora” de estabelecer uma “orientação política, independentemente de quem exerce o cargo ou independentemente da cor do Governo que está a exercer funções, mas de haver uma estratégia bem definida daquilo que se quer para as nossas Comunidades e como fazê-lo”.

Sem avançar ainda iniciativas concretas, Paulo Cafôfo adianta já uma metodologia. “Em termos de metodologia pretendo criar uma proposta com eixos que considero importantes para as Comunidades, mas depois, quero ter contributos através da organização de debates de reflexão e de receção de opiniões” disse à RDP internacional. “É uma caixa recetora de contributos e desses contributos construirmos um plano estratégico que não é um plano meu, nem do Governo, é um Plano de estratégico do país – nem é das Comunidades – é do país para as Comunidades”.

 

Donativos LusoJornal

 

X