Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Toulouse: Federação das Associações Portuguesas organizou cerimónia de encerramento do ano letivo

A Federação das Associações Portuguesas da Haute-Garonne, organizou no passado dia 11 de julho, no espaço exterior da Salle des fêtes de La Fourguette, em Toulouse, uma cerimónia para marcar o encerramento do ano letivo 2019/2020.

Durante o primeiro semestre de 2020, a Federação disponibilizou aulas de língua portuguesa através da contratação de uma professora privada, que colmatou assim a vontade que alguns pais demonstraram – já depois do ano letivo ter começado – uma vez que já não era possível à Coordenação do ensino de português junto da Embaixada de Portugal em Paris, destacar um docente para a Federação.

Para este efeito, a Federação criou um Grupo de trabalho que tem acompanhado a incrementação da língua portuguesa na Comunidade. Fruto da criação e ativação deste assunto na Comunidade, foi possível à Federação reunir um conjunto de alunos e de o fazer chegar à Coordenação do ensino em Paris.

Depois de analizada a informação e “do excelente trabalhado de colaboração realizado pela Coordenadora Adelaide Cristovão”, foi decidido que a partir de setembro, Toulouse e a sua Comunidade passariam a contar com o ensino de uma professora do Instituto Camões, em horário de fim de semana (sábado), num protocolo com a Federação. Na prática, trata-se da professora do Instituto Camões colocada na região, Cristina Graça que vai completar o seu horário com esta aula na Federação.

Este é um modelo que serve muitos alunos de Collège, uma vez que, embora dispersos por várias localidades da Haute-Garonne, podem ter aulas de língua portuguesa, o que de outra forma não poderia acontecer, uma vez que não existem interessados suficientes nas suas escolas, para poderem completar as turmas.

“Estes modelos de ativação do ensino de português são sobretudo modelos que fazem com que a Comunidade se aproxime da língua e que a língua se aproxime da Comunidade” disse ao LusoJornal Vítor Oliveira, membro do Grupo de trabalho da Federação sobre ensino da língua portuguesa. “O projeto desenvolvido pela Federação é composto por uma evolução em várias etapas e em que uma delas está já, em parte, cumprida: a de alertar e sensibilizar a Comunidade para a importância da língua portuguesa”.

“A sensibilização da Comunidade por parte dos responsáveis e intervenientes sociais é fundamental. Era sobretudo importante sinalizar, alertar e sensibilizar a Comunidade, processo que podemos afirmar, está a ser conseguido” diz Vítor Oliveira.

Neste planeamento contínuo e evolutivo está, como é evidente, uma etapa seguinte, que é a de prestar todas as informações à Comunidade para que os alunos possam ter aulas de língua portuguesa nas escolas onde estudam.

“A partir de setembro será desenvolvido um processo de informação para que os agregados familiares inscrevam os educandos nas aulas de língua portuguesa nas escolas onde estudam. Que, se possível solicitem e se informem junto dos responsavéis escolares, para conseguirem a ficha de inscrição e que o façam de facto acrescenta Vítor Oliveira. “Será importante desenvolver este processo entre setembro e dezembro, altura limite para estas inscrições”. A Federação terá por isso um papel ativo nesta matéria.

Vítor Oliveira acrescenta ainda que “sem este processo evolutivo, composto por etapas, não era possível, almejar o perfeito que seria efetivamente que todos os alunos pudessem ter aulas de português nas suas escolas”.

Na cerimónia do dia 11 de julho, participaram pais, alunos, parceiros e patrocinadores. Esteve igualmente presente o Conselheiro das Comunidades António Capela e o Presidente da Federação Miguel Novo Costa.

“Sem um trabalho efetivo no terreno como o que tem sido feito, e que eu agradeço em nome da Comunidade, não seria possível chegar tão longe, como chegamos hoje. Ao Miguel Novo Costa, à Celina da Mota, ao Vítor Oliveira, ao José Rodrigues e à professora Susana Costa, só tenho a agradecer. Mesmo com todas as contrariedades, conseguiram. E isso é que conta!» adiantou António Capela no seu discurso.

As aulas tiveram lugar na sede do grupo folclórico Vila Rosa, na Salle de la Fourguette em Toulouse e durante o confinamento, a professora Susana Costa continuou a dar aulas à distância”.

O Presidente da Federação agradeceu a todos os elementos da sua Direção envolvidos “e a todos os parceiros institucionais e patrocinadores envolvidos. Sem eles não teria sido possível”.

O Vice-Cônsul de Portugal em Toulouse, Miguel Costa, que não pode estar presente, enviou uma mensagem que foi lida durante a cerimónia, e em que, entre outras plavaras, demonstra o seu “apreço a todos os membros da Federação pelo trabalho ímpar realizado na promoção da cultura e língua portuguesa”.

A equipa de trabalho da Federação volta a reunir em setembro, para preparar o próximo ano letivo.

 

Ensino
X