Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Dois cidadãos marroquinos foram investigados pela polícia francesa por recrutamento de jihadistas e atentados terroristas, eles que receberam asilo político em Portugal.

Com falsos documentos, quando chegaram a Portugal, Abdesselam Tazi e Hicham El Hanafi conseguiram receber o estatuto de refugiados políticos em Portugal. Residiam num centro da segurança social na cidade de Aveiro e recebiam um apoio financeiro do Estado português.

A informação é divulgada pelo ‘Jornal de Notícias’ que acrescenta que Abdesselam Tazi, de 65 anos, e Hicham El Hanafi, de 29 anos, foram investigados e vigiados pela Polícia Judiciária Portuguesa desde 2014 por suspeitas de terrorismo, eles que entraram em Portugal em 2013.

O meio de comunicação conclui afirmando que os dois marroquinos foram investigados pelas autoridades francesas e alvo de uma acusação, concluída neste mês, que os dá como operacionais ativos ao serviço do estado islâmico.

Recorde-se que Abdesselam Tazi, detido em Monsanto, foi indiciado por recrutamento em Portugal de jovens para o Estado Islâmico na Síria e condenado a 12 anos de prisão em julho do ano passado. Hicham El Hanafi encontra-se preso em França, desde novembro de 2016, sob suspeita de estar a preparar um atentado naquele país.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 5 Votos
6.6
X