Saúde: 7 Dicas para melhorar as olheiras

Comunidade

 

As olheiras são um motivo de consulta de medicina estética cada vez mais frequente. Por conferirem um ar cansado e um olhar mais triste podem acabar por condicionar muito a autoestima das pessoas que as possuem.

Quais os tipos de olheiras mais frequentes?

– Olheiras Profundas (escuras devido à sombra provocada pela sua profundidade, causa estrutural)

– Olheiras Hiperpigmentadas (acastanhadas por aumento de depósito de melanina)

– Olheiras Vasculares (azuladas / arroxeadas provocadas por depósitos de hemossiderina – causa circulatória)

– Olheiras com rugas e flacidez cutânea (provocadas pelo envelhecimento cutâneo, desidratação e perda de colagénio)

– Olheiras com bolsas (provocadas por retenção de líquido, geralmente piores ao acordar)

– Olheiras com papos (provocadas por laxidão dos ligamentos retensores e subsequente herniação dos compartimentos de tecido adiposo)

– Olheiras Mistas (combinação de vários tipos de olheiras)

 

A melhor forma de corrigir as olheiras é combinando alguns cuidados rotineiros em casa com tratamentos específicos em consulta de medicina estética, ou no caso dos papos, com cirurgia. Existem vários tipos de olheiras e como tal, diferentes abordagens e tratamentos para cada tipo.

Deixo 7 dicas que ajudam a melhorar o aspecto das suas olheiras e dar-lhe um olhar mais fresco, alegre e rejuvenescido:

 

  1. Ter sempre uma colher de chá no frigorífico e aplicar todas as manhãs a parte convexa da colher gelada sobre a região das olheiras durante 30 segundos. Este truque ajuda a melhorar o aspecto das bolsas palpebrais, contribuindo para diminuir o edema nesta zona.

 

  1. Dormir entre 7 a 9 horas, nem mais nem menos – o chamado Beauty Sleep. Manter uma higiene do sono adequada é fundamental para o aspeto da zona periocular.

 

  1. Diminuir a exposição solar. Muito importante para diminuir o fotoenvelhecimento, responsável pelo envelhecimento precoce da pele.

 

  1. Seguir uma dieta saudável e variada. Importante diminuir o consumo de sal para evitar acumulação de líquidos nesta região que possa piorar as bolsas. A dieta deve também ser rica em alimentos com vitamina K, como por exemplo os espinafres, bróculos ou couve. Estes alimentos parecem ter um efeito descongestivo, útil para melhorar as bolsas.

 

  1. Manter uma distância mínima de 40 centímetros dos ecrãs dos telemóveis, computadores, tablets e televisores, sobretudo antes de dormir. Cada vez há mais informação sobre o efeito da luz azul no envelhecimento da nossa pele e em particular na diminuição de colagénio. Para além disso, a proximidade aos ecrãs pode ainda provocar fadiga ocular e miopia.

 

  1. Aplicar um contorno de olhos indicado para o tipo de olheiras. Caso sejam olheiras hiperpigmentadas este deve ser incluir ingredientes como ácido tranexâmico, ácido kójico, vitamina C, ou outros ativos dirigidos às hiperpigmentações. Caso sejam olheiras de tipo vascular deve incluir vitamina K e cafeína. Se forem olheiras marcadas por flacidez cutânea e rugas deve incluir ativos como AHAs ou retinol, fatores de crescimento e ácido hialurónico para hidratação. Por último, se as bolsas forem o principal problema, estes cremes devem incluir cafeína, ginkgo biloba ou extracto de hammamelis para facilitar a drenagem.

 

  1. Realizar periodicamente procedimentos médico-estéticos indicados para o tipo de olheiras:

– Olheiras profundas (mais frequente) – Tratamento de reestruturação com ácido hialurónico. Efeitos imediatos e duração média de 12 a 18 meses.

– Olheiras hiperpigmentadas – Tratamento com peelings dirigidos à acumulação de melanina na região periocular.

– Olheiras vasculares – Tratamento com laser e IPL

– Olheiras com rugas e flacidez cutânea – Tratamento com skinbooster, o qual é responsável por melhorar a qualidade da pele e diminuir a aparência das rugas.

 

Dra. Matilde Jácome de Castro

Medicina estética na Clinica Appleton Medical Care em Lisboa

 

Donativos LusoJornal