Saúde: Prazer sem excessos de Natal

Comunidade

 

Natal é sinónimo de comida, de conforto e do convívio em volta da mesa, junto de quem mais nos é querido. E há que ser grato por tudo isto! Nesta época será frequente existir uma maior frequência de convívios e uma maior oferta e disponibilidade alimentar, o que vai acabar por influenciar as nossas escolhas alimentares.

Com o aproximar do final do ano, é frequente deixar os objetivos de composição corporal para as “resoluções de Ano Novo”.

Certamente que esta é uma quadra em que é importante aproveitar e desfrutar (sentindo total permissão para tal), mas dezembro não tem que ser um mês em que se tira férias de uma alimentação saudável e estilo de vida ativo, apenas porque já se sabe que vai ocorrer um aumento na ingestão alimentar.

Abandonar por completo os hábitos e comportamentos adquiridos ao longo do ano (seja a nível alimentar, estilo de vida ou de treino) não será, de todo, uma atitude correta. Até porque épocas festivas e eventos comemorativos vão sempre existir ao longo de todo o ano. O segredo está na forma como as encaramos, na sobrevalorização que damos a determinados alimentos e como lidamos posteriormente com estas refeições. Nem sempre, nem nunca. Pode comer-se de tudo, mas não tudo. Não é preciso deixar de comer ou de conviver, mas também não tem que se exagerar.

Certamente que cabe a cada um decidir qual a melhor abordagem a utilizar nesta altura, mas esta é uma quadra que pode ser propícia para o aumento significativo de peso, o que pode atrapalhar/desmotivar a jornada de quem esteja a tentar emagrecer.

Encontrar um equilíbrio, desfrutando na mesma do que gostamos de comer, pode não ser tarefa fácil, mas não é impossível.

 

Algumas sugestões:
– Garantir o cumprimento dos básicos (sopa, fruta, hortícolas). Manter o consumo de sopa e hortícolas nas refeições principais será um comportamento interessante, não só em termos de saúde, como também no aumento do fornecimento de fibra, o que contribuirá para o aumento da sensação da saciedade;
– Evitar ir para a mesa com fome. Garantir o consumo de sopa antes da refeição e/ou de uma boa dose de proteína (ex: iogurtes proteicos) pode ser interessante para controlar e fome e reduzir alguma impulsividade alimentar ao chegar à refeição;
– Controlar as porções do que se consome, seja dos doces e bolos da época, como das entradas e prato de refeição. Comer de forma mais consciente e estar atento às quantidades que se servem;
– Evitar o excesso de bebidas açucaradas e alcoólicas;
– Fazer escolhas, no sentido de avaliar o que mais apetece comer, ao invés de comer tudo sem pensar;

– Manter a frequência nos treinos e a atividade física. Aproveitar para passear/caminhar com a família e amigos;

– A redução de açúcar e gordura nalgumas receitas pode ser interessante, apenas ter em atenção que algumas receitas “fit” podem ser calóricas do que as receitas originais, a depender dos ingredientes que se usem;

Desfrutar sem culpa.

 

Dra Rita Ribeiro

Nutricionista

Clínica Fisiogaspar, Lisboa

 

Donativos LusoJornal